quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Como sobreviver no Rio de Janeiro até às 5 horas da tarde...


E minha amiga brasileira se une em matrimônio ( essa foi demais!!!) com meu amigo francês. Junto com a familia do francês, vem pro Brasil uma turma de parentes e amigos.

Casamento em BH, tudo muito bom, tudo muito lindo e, no dia seguinte, lá vou eu levando a turma pra conhecer o Rio de Janeiro. Alguns voltaram pra casa e 15 ficaram pra grande aventura.

Claro que o assunto mais presente era: assaltos, pivetes e balas perdidas, enfim estes pormenores que turista insiste em se preocupar com.

E dei as instruções antes da saída do hotel, logo pela manhã. Relógio, anéis, pulseiras, cordões, tudo guardado no hotel. Porque cara de turista não tem jeito de mudar....rs. Bolsa cruzada no peito e, homens ! Atenção com carteiras no bolso de trás.

Queriam, como todo europeu, ver o dia-a-dia do povão. Então a regra era : no onibus, eu era sempre a última a entrar e a primeira a sair, e mais alguma coisa que não me lembro mais. Não sou neurada, mas é muito desagradável quando o turista tem problema na terra da gente. Em qualquer lugar é, mas conosco é muito ruim, já que a imagem não é lá das melhores.

E andamos e andamos, comemos, compraram, compraram, se apaixonaram por tudo que viram e, no final da tarde, voltamos ao hotel pra dar uma reorganizada pra sair de novo à noite.

Foi aí que rolou o melhor do dia.

Peguei um senhor dos mais espirituosos do grupo olhando no relógio e, cutucando o amigo do lado, disse: "Bah, dis donc!!! Tout à fait incroiable mon pote!!! Il est déjà 5 heures de l'aprés -midi et nous sommes encore vivants.!!!!"

O que em Português fica tão engraçado quanto: "Veja só!!! Isso é incrível ou inacreditável meu amigo !!! Já são 5 horas da tarde e a gente ainda continua vivo!!!"

Falou isso rindo.... Felizmente voltaram pra França achando um exagero da imprensa essa história de assaltos e crimes. Eles sabem que existe sim, mas não na proporção que chega lá fora.

Ainda bem, né?

2 comentários:

Jorge Fortunato disse...

Ieda,
Acho que a violência contra turistas acontece em toda parte. A gente tem que ficar atento sempre. Em Paris os pick pockets agem tranquilamente no metrô, aqui no Rio os pivetes também são ágeis. O jeito é ser mais espertos que eles e foi isso que vc fez com o seu grupo.

Ieda Dias disse...

Oi Jorge, muito prazer em te receber aqui. Realmente. Eu ja disse em outros posts. sobre a atenção que a gente precisa ter, porque o pessoal tá "trabalhando". Portanto tá sempre atento.
Vou dizer uma coisa q vc pode não crer. Já fui assaltada em NY e nuuuunca fui ( Dieu merci) assaltada no Brasil.
um abraço e fique por aqui, não some não.
bjins

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...