terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Mais uma da polonesa ! Da série : "Acredite se quiser"


E eis que estou em Paris trabalhando e, minha querida amiga filha da polonesa, me liga pedindo ajuda.

" Mamãe vai operar e preciso que você venha ficar com ela, por favor. Nao sei o quê fazer numa hora assim. "

OK! Pedi uma licença no meu trabalho ... "um minutim que vou ali e volto já" ... e lá fui eu.

Cheguei no final da manhã, direto pro Hospital, e já tinha terminado a cirurgia. Esperamos um pouco e ela veio pro quarto. Lá pelas 2 horas da tarde, ela se sentou na cama, como se nada tivesse acontecido, e pediu seu crochê.

Claro que entreguei e ela começou a tricotar como se nada tivesse acontecido mesmo. Uma cirurgia de câncer no reto e ela nem tchum! Acredite quem quiser, mas juro que foi assim. Perguntei se ela se sentia bem, se tinha alguma dor, algum incômodo e ela: "Nao, nenhum, por que?"

"Por nada, respondi."
Mais tarde, aconteceu uma das situações mais engraçadas do mundo.

A filha dela (a mesma que não conseguiu fazer com que ela doasse os casaquinhos de lã, lembram ?) foi tentar explicar a ela como seria dali por diante. Toda paciente, ela disse: " Mamãe, de agora em diante, a senhora não vai mais precisar ir ao banheiro pra fazer cocô. A senhora vai usar uma bolsa." E ela, com a maior cara de espanto: "Bolsa? Que bolsa? Pra que me comprar uma bolsa se nem saio mais de casa?"

Eu dei um ataque de riso sozinha porque, minha amiga não achou a menor graça. Pra ela, era muito importante, comunicar à mãe, a nova situação.

Quando consegui me acalmar, eu disse: "Nem se preocupe com isso, ela vai demorar um ano pra se dar conta que não faz mais cocô e nem vai estar preocupada em saber qual o caminho que tomou, o que ela comeu. Tá nem aí. Vai ter uma enfermeira, que virá diariamente trocar a bolsa, dar banho (se conseguir.) Deixe a vida rolar. Quando ela perguntar, a gente responde."

Muito a contra-gosto, ela aceitou e correu o tempo.

Fiquei com ela mais uns dias, ela voltou pra casa toda contente e nem sinal de dar notícia da tal bolsa.

Voltei pra Paris e, um belo dia, a moça que ficou tomando conta dela me ligou e disse: -"Você tem bola de cristal?" -"Eu? Por que?" -" Porque, hoje, madame a polonesa, passou a mão na barriga, sentiu uma coisa estranha, levantou a saia e eu achando que ela tava fazendo reconhecimento do terreno, só fiquei olhando."

No que ela viu aquela coisa esquisita grudada nela, pensou alto: "Que porra é essa aqui?"

Dizendo isso, arrancou a tal bolsa de uma só vez, jogou longe e só foi merda que voou pra todo lado.
Ela só me ligou depois de ter passado uma hora limpando a peleja por toda a sala e, depois de ter consumido todo o Pinho Sol de Cannes.

6 comentários:

Susi disse...

Oh meu Deus!!!
Que danadinha essa mamae polonesa.
Mas nem me diga que vc ta aqui por perto,chega até aqui Ieda, vem tomar um café comigo mulher.
bjs

Ieda Dias disse...

Susi, vim visitar uma amiga e quem sabe nao vai dar pra gente se conhecer. A gente fica em contato.
bjins

Osimar Pinheiro disse...

Ieda, muito engraçado, voce nem consegue imaginar a risada que dei aqui, ahahahaha. Esta polonesa sabe viver mesmo! E quem quiser que aguente.

Bisousss!!!!

Ieda Dias disse...

Osimar, to aqui perto de Megeve, fico um tempo e passo por Paris antes de voltar pra terrinha; Quem sabe a gente nao se encontra pra rir um pouco?
bjins

Osimar Pinheiro disse...

Ieda, seria um grande prazer conhece-la pessoalmente. Quando passar por Paris entre em contato. Meu email é osimartravel@hotmail.com e te darei numero de telefone, assim ficara facil nos encontrar para tomar um bom cafe, cha, chocolate simplesmente se encontrar.

Bisousss!!!

Ieda Dias disse...

Anotadaço Osimar. Entro em contato.
bjins

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...