domingo, 18 de julho de 2010

Orgulho de ser brasileiro - Povo porreta !

Os acontecimentos sinistros das últimas semanas, juntando aos das semanas anteriores e anteriores, me fizeram pensar em revitalizar (já que a palavra tá na moda) nossos brasileiros porretas, danados, fortes, lutadores, cheios de garra. Brasileiros. E, folheando meu almanaque preferido, revi um resumo da história do grande Marçal Tupã-Y. Vou contar pra você. Todos nós precisamos de um up na moral. O final do causu não é feliz, mas valeu pelo caminho percorrido por Tupã-Y.

" Dizem que o Brasil foi descoberto. O Brasil não foi descoberto, não, santo padre. O Brasil foi invadido e tomado dos indígenas. Esta é a verdadeira história do nosso povo."

Com essas palavras, Marçal Tupã-Y emocionou o Papa João Paulo II em sua primeira visita ao Brasil, em 1980. Era líder do povo guarani e porta-voz de toda a população indígena brasileira. Lutou pelos direitos dos índios e se tornou símbolo.

Tupã-Y nasceu Marçal de Souza em 24 de dezembro de 1920, no atual Mato Grosso do Sul. Ficou órfão aos oito anos. Foi educado numa missão presbiteriana e criado pela família de um oficial do Exército no Recife. Adulto, voltou para a região de Ponta Porã, no estado natal. Aceitou sua cultura, tornou-se enfermeiro da Funai, guia e intérprete de antropólogos como Darcy Ribeiro (meu ídolo).
Depois de anos de luta e discursos tocantes, inteligentes e esclarecedores, morreu como viveu: defendendo o respeito a seu povo. Foi assassinado com cinco tiros, na noite de 25 de novembro de 1983, em sua aldeia (menos de um mês antes, havia recusado oferta de 5 milhões de cruzeiros, feita por um fazendeiro, para que convencesse uma tribo do grupo Kayowá a sair de suas terras). Marçal Tupã-Y tinha 63 anos e a seu lado dormia a mulher, a índia Celina Vilhava, 27 anos, grávida de nove meses.

Obrigada ao Chico Mendes, à Irmã Doris, ao Tupã-Y e tantos outros. Peço desculpas pela animalidade do ser humano, que lhes tirou a vida.

2 comentários:

José Luiz Foureaux de Souza Júnior disse...

Brasileiro porreta de verdade. Por isso é pouco divulgado. E suas apresentação, mais que devida (para não deixar de ser do jeito que sempre é!) celebra aquele que acredita, aquele que sabe, aquele que "pode", ainda que não saiba de todo esse poder!
Evoé!

Ieda Dias disse...

Você não acha um absurdo a gente não ter ainda se encontrado, ô brasileiro porreta!
Vem cá!
bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...