sábado, 28 de agosto de 2010

Saudades do Iraque...quem diria!

Estas fotos me fazem lembrar, meus tempos morando em acampamento no Iraque. Era assim? Os refeitórios eram assim? Tinha esse monte de opções e de coisas boas pra comer? Claro que não! Evidente que não! A empresa era brasileira.
Tínhamos refeitório legal e comíamos tudo do melhor, na medida do possível (já contei sobre isso aqui). Às vezes, passávamos semanas sem comer nenhum legume ou verdura fresca; era um tal de ervilha, palmito e azeitona, que não era fácil. Mas, a culpa, era da própria dificuldade em tempos de guerra - contra o Irã - com portos fechados. Então, não tinha como chegar até a gente um monte de coisa. E me lembrei também de mais um empecilho : o comércio paralelo; acontecia muito de caminhão sair de algum lugar com frutas, legumes e chegar no acampamento com quase nada da carga. Era vendida pelo caminho pros nativos. Graninha fácil, feita pelos motoristas.

Já com os EUA a coisa foi diferente. Eles mesmos é que devem transportar o que consomem. Imagino eu.
De qualquer forma, tenho certeza absoluta que, a grande maioria destes soldados, vai sentir muita falta destes refeitórios. Ninguém tem em casa, uma infinidade de opções no dia-a-dia. Nem em dia algum.

Eu, que já trabalhei durante muitos anos em cozinha industrial, sei muito bem o quanto custa a montagem de uma cozinha assim. Coisa de primeira linha. Levaram tudo dos EUA. Nada do que você vê nessa foto, foi comprado no Iraque. Pode ter certeza. Até a mão-de-obra foi importada. Viram as carinhas do povo?
Chineses, indianos, egípcios.
Até a Coca-Cola entrou. No nosso tempo só tinha Pepsi.

A única coisa que identifico, como criação iraquiana, é a decoração. Bem ao gosto deles.

Guerrinha cara essa ! Só por curiosidade, entre em um site qualquer e veja quanto custa um balcão deste de saladas. Vai se assustar.Guerra realmente é um bom negócio pra muita gente; é muito neguinho que arruma a vida com ela, por isso, a grande dificuldade em dar fim a um estorvo desse. Ninguém quer deixar de ganhar. É o famoso "nego quebra a dentadura, mas não larga a rapadura."
Estão nem aí pras pessoas que tão perdendo tudo que tem; inclusive a vida.
A grana gasta com estes refeitórios é só um grãozinho de areia . Mas vários grãos fazem uma grande diferença.

6 comentários:

Maga. disse...

Pensando n q vc disse sobre a guerra ser um bom negócio p mta gente,deve ser por isso msm q nunca acaba...
Muitas vezes a vitória do seu time lhe dá alegrias mas a derota do outro traz tristezas p alguém.Isso p n falar em tudo q gera uma guerra de verdade. Pra pensar....
Mas é claro q tem tb aqueles q vivem financeiramente das desgraças, tinha q ter alguém p isso....faz parte.
Qto a esses acampanhamentos americanos, parecem bem limpos,bem sortidos .Mas a decoração...
Até a pepsi e a coca-cola sempre foram rivais, onde uma entra a outra não. Nem sei, vai ver já se uniram...
bjim

Maga. disse...

derrota, rsssss
Isso é q é pressa pro sabadão...

Anônimo disse...

Salve, Iêda!
É, cara Iêda, e eu, que quando fiz o serviço militar, era obrigado a comer aquela horrível comida enlatada que os caras nos davam.
Parece mais que os caras ai estão em uma grande festa, e não em um acampamento militar. Afinal, a noção que temos de soldados em guerra, é aquela da ótima série Band Of Brothers e Cartas de Ivo Jima, por exemplo.
Abraços,
GIBA

Ieda Dias disse...

Pois é Giba, se tirarmos os uniformes e as armas, vira um restaurante chiquérrimo de qualquer multinacional...rs
bjos

Ieda Dias disse...

É Maga, acho que essa merda toda começou quando foi inventado o dinheiro.. No tempo da troca deveria ser diferente, né não?
bjins

Ieda Dias disse...

Esquenta a cabeça com falta ou excesso de letra não......o que vale é que entendi tudim...e fim...rs
bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...