sexta-feira, 15 de abril de 2011

Deixando de lado o fois gras e caindo no mexidão do Mercado Central

É bom sair de casa e já dar de cara com uma maravilha dessa. Parabéns aos engenheiros que fizeram o prédio do Life Center. Não detonaram com as centenárias árvores que faziam parte do quintal  da construção anterior.

Compras no Mercado Central de Belo Horizonte. Própolis e mel.

Todo estrangeiro se encanta com a quantidade de ervas e folhas pra fazer chás, pra resolver todos os problemas possíveis. Menos falta de grana.

Aqui, nossa visita tenta entender a diferença entre farinha de milho, fubá, farinha de mandioca baiana, mineira, carioca, polvilho doce e azedo, farinha de milho moída e em flocos, farinha de mandioca com dendê. Fingiu que entendeu e continuamos nosso passeio.

E dá-lhe linhaça branca, dourada, em grão, moída, quinua, gelatina, tudo que é bom pra um monte de coisa hoje e, amanhã, pode virar um veneno.

Ninguem resiste às legítimas. A mala ficou parecendo mala de mascate. Tem de todo tamanho, toda cor, pra todo gosto.

Bromélias. Não precisa dizer mais nada.

Encomenda de netinha. Mel e doce de leite. Morde a pontinha e fica o dia inteiro se deliciando.

Grãos e mais grãos. E a apresentação realmente é muito bonita. Dá vontade de comprar até o que a gente não gosta.

Na França o povo só tem banana nanica ou catura. Aqui, tiram a barriga da miséria. Cada dia querem comer uma diferente.

Lindas e deliciosas pimentas. Cores de fazer inveja a qualquer Van Gogh.

Pra Semana Santa já tá tudo lá te esperando. De bacalhau a pinhão.

Amo esta parte de artesanato. As peneiras, ai as peneiras. A infinidade de utilidades que elas têm. Sou apaixonada. O mercado, nos meus tempos de criança, era lugar de comprar frutas, legumes, mantimentos, passarinho. Hoje virou mais uma Feira de Artesanato. Deve existir, no máximo, uma meia dúzia de barracas de frutas, verduras e legumes, mas continua sendo um bom lugar pra se ir.

A lembrança que me traz estas cabacinhas, é do meu pai tomando uma branquinha antes do jantar, "pra abrir o apetite" ele dizia. Como se precisasse! Tudo é desculpa pra quem aprecia e bebe com prazer uma boa cachacinha. Eu disse boa? Como alguém pode achar aquilo gostoso!

Quem nasceu na metade do século passado aqui nas Minas Gerais, foi possuidor de uma violinha desta. O som é estridente, meio esganiçado, mas a gente adorava.

A carinha das galinhas d'angola são muito fôfas! Houve adquirância.

Sempre achei lindo o capim dourado. As peças de tempos atrás eram feinhas, de um gosto diferente do meu. O SEBRAE andou dando uma ajuda pra turma que faz os trabalhos, e agora eles estão fazendo peças lindas. O que era só cestinha, hoje virou sandálias, bolsas, bijuterias muito bonitas e modernas, enfeites pra casa. Um mundão de opções.

Olhe como ficam lindas as flores feitas com a palha de milho! Pra mim poderia ser um buquê de noiva. Super original.


E, pra finalizar, achei esta pobre e linda bicicleta feita de cipó, estacionada num canto feio do lado de fora da loja. Espero que alguém a leve pra casa e cuide bem dela. Tá precisando de carinho e de um bom trato. Não trouxe pra mim porque aqui em casa seria eu ou ela; não tem mais vaga nem em pé.
Uma pena eu não ter me lembrado de fotografar a pratada de mexido doido ingerido por minha amiga. Mas já eram 4 da tarde, eu morta de fome, e, quando meu PF chegou, avancei nele sem dó nem piedade. Arroz, feijão, macarrão, omelete, alface e uma rodela de tomate. Só quando raspei o prato que me lembre da fotografia. Fica pra próxima. O restaurante fica dentro do mercado e se chama Casa Cheia. Rango gostoso e pessoal gentil.

BAR E RESTAURANTE CASA CHEIA
loja: Corredor: S16 Telefone: 3274-9585

10 comentários:

Anônimo disse...

Já fui trocentas vezes ao MC, mas sempre tem algo novo para ver. Turista deve achar algo meio exótico dos trópicos.
Legal.
Luiz César

ReCriando disse...

Que lugar delicioso!!! Não conhecia! Tenho que visitar BH urgente. Beijos, Rê

Ieda Dias disse...

E bota exótico nisso, Lu. Chegamnos domingo super tarde, pra variar voo atrasou.
bjos

Ieda Dias disse...

Pode vir meu bem, que vc vai gostar...
bjos bjos

Regina Rozenbaum disse...

Ahhhh! Agora tô entendendo tudim... Sumiço assim tem explicação, ou melhor, nome: hós-pe-de!
Beijuuss n.a.
P.S: tá arrasando nas fotos.

Ieda Dias disse...

Regis, arranje um tempim e venha conhecer minha amiga...please!
bjos bjos

viviane santana disse...

"houve adquirância" é ótimo!!!
Bom fim de semana!!!

Ieda Dias disse...

O seu Guima e eu...adoramos palavras novas...rs
bjos e ótimo fds proce tb

oposicaoreal disse...

Iêda, minhna linda. Você lembra o rumo da bicicleta de cipó? Tem idéia do preço? Cê sabe, que além dos cães, estou sempre abrigando abandonadas... Hehehe... Aqui em casa cabe! Se puder me dê uma dica! Vou lá buscar! (Depois de pechincar!) E a caninha antes do almoço, na cuia, é BOA mesmo! A cuia faz o gosto ficar melhor...Reynaldo.

Ieda Dias disse...

Rey, não perguntei o preço, mas no estado que ela tá eles devem tá pagando pra alguem levar...rs. Ela tá na loja do lado do Restaurante, Casa Cheia.
bjos bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...