terça-feira, 31 de maio de 2011

Olhaí a Gol fazendo gol de placa!

A gente massacra muito o produto nacional quando ele não funciona, mas adoro exaltar quando tá bem na fita. Olha a Gol fazendo bonito aí,  gente!



"Estudo realizado pela empresa Idea Works e publicado na edição de hoje do The Wall Street Journal, um dos mais conceituados diários econômicos do mundo, aponta a Gol como a melhor empresa aérea no planeta para se emitir bilhetes usando milhas acumuladas pelos passageiros. A companhia brasileira foi destaque de pesquisa realizada por solicitação da ezRez Software Inc., que disponibiliza ferramentas de vendas on-line para empresas aéreas, hotéis e agências de viagens, junto a 24 programas de milhagem/fidelização globais (veja gráfico para saber as companhias).

A Gol conquistou o topo do estudo de disponibilidade por ter conseguido alocar e confirmar todas as 280 requisições, isto é, 100% das passagens aéreas na categoria básica. Vale ressaltar que no caso das empresas que usam pontos e não milhas como unidade de seus programas de benefícios, o estudo considerou o uso de 25 mil pontos, equivalente ao mínimo para um trecho standard com milhas.

Logo abaixo da Gol, ainda com um desempenho bastante favorável, estão, pela ordem, Southwest, que conseguiu alocar 99,3% dos trechos solicitados, Air Berlin, com 96,4%, Virgin Australia, com 91,4%, e Singapore, esta última com sucesso para emissão de 90,7% dos bilhetes requeridos. Já na parte inferior do gráfico, com os piores resultados no estudo, estão a US Airways, com apenas 25,7% das solicitações atendidas, a Delta, com 27,1%, e a Emirates, com o desempenho um pouco melhor, com 35,7%.

No total, foram feitas 6.720 requisições para emissão de bilhetes com programas de milhagem/pontos e 68,6% delas foram atendidas, contra 66,1% do ano passado. O crescimento, ainda que de apenas 2,5%, foi considerado uma surpresa pela Idea Works, já que as empresas aéreas costumam colocar os assentos de milhagens em uma categoria de reserva mais inacessível do que a das tarifas mais baixas.

Por isso, alguns programas, segundo a matéria publicada pelo The Wall Street Journal, nunca conseguirão bonificar seus membros nos voos para os destinos mais populares simplesmente por não existir disponibilidade de assentos na categoria básica de milhagem.

Segundo, porém, o presidente da Idea Works, Jay Sorensen, o incremento aponta para a constatação de que as empresas aéreas estão se atentando que ter disponibilidade é importante. E a Idea Works não facilitou para ninguém. O estudo escolheu 20 dos trechos mais movimentados no quadro das empresas, tanto no doméstico quanto internacional, e solicitou um par de bilhetes para 14 datas entre junho e outubro – a pesquisa foi feita de março a meados de abril – totalizando as 6.720 requisições nas 24 empresas áreas e seus programas."



Dica passada pelo meu querido agente de viagens Breno Pádua da http://www.etcintercambio.com.br/  e que repasso pra você:
http://www.panrotas.com.br/canais/redacao/plantao/portal_reader_noticia.asp?cod_not=68313&__akacao=470037&__akcnt=3e923603&__akvkey=8ec0&utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Central+de+Not%EDcias+PANROTAS+-+Ed.+726

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Continuando na Tailândia agora no mercado flutuante. Lindo!

Foi paixão à primeira vista. Paixão por tudo. Pelas frutas, pelas cores, pelas lindas mulheres remando seus barcos, pela paz, pela tranquilidade com que são feitas as compras, pela delicadesa com que as pessoas circulam seus barcos. Tudo, tudo, tudo. Já disse aqui e repito. O povo tailandes é delicado, suave.
Grande parte do país é pantanoso. Mesmo dentro da capital, Bangkok, dependendo da hora, as ruas ficam alagadas com a subida da maré.
Este é um  mercado exótico, diferente. Estas fotos foram feitas pelos meus queridos amigos Fatinha e Roberto no mes passado. E muito desta paisagem eu fotografei há 20 anos atrás. Vimos com alegria a mesma beleza. Fotografamos as mesmas maravilhas. Quer saber porque este mercado faz tanta diferença? Por conta das mulheres.

" Pelo menos nesse mercado, elas conquistaram o poder. São as mulheres que trazem os produtos, determinam os preços, negociam, vendem.

O mercado flutuante faz parte do dia-a-dia da Tailândia. São quatro em todo o país. O de Dami Nani Saduak, a 80 km da capital Bangcoc, é o principal, o mais antigo. É tudo muito simples, bonito, colorido. Todo dia às sete da manhã, os barcos começam a chegar.

Toda comida é temperada com pimenta, muita pimenta. Faz parte. E é pimenta daquelas. Tem coco, abacaxi, banana. Mas, banana vermelha já é um pouco diferente. Uma fruta chama lamud é típica da Tailândia. São dezenas de frutas exóticas. Algumas, difíceis de identificar.

O mercado de Dami Nani Saduak só funciona na parte da manhã por causa do calor. O sol é muito forte. Para agüentar, só usando chapéu. São todos feitos de palha e enormes. Protegem de verdade.
É uma diversidade extraordinária. Cada barquinho tem um produto, uma comida, uma surpresa. Um lanche típico tailandês: uma espécie de panqueca feita com folha de banana e uma pasta de arroz. O recheio é uma mistura de açúcar mascavo, coco ralado e amendoim. O tempero é alho frito com açúcar mascavo com alho frito e pimenta.

É nesse mercado - que atrai gente do mundo todo - que o povo tailandês faz suas compras. É um negócio que movimenta muito dinheiro. Quem trabalha nesse mercado, vive às margens do rio. Em casa modestas, tipo palafitas.

Enquanto as mulheres vão para o mercado vender, os homens ficam em casa. É que, geralmente, eles trabalham bem cedinho, no campo, produzindo o que mais tarde elas vão negociar.
A cada momento, encontra-se uma surpresa diferente, como uma senhora sentada, tranqüilamente, brincando com uma cobra. Ela age como se nada estivesse acontecendo. Para essa senhora, a cobra é um animal de estimação, que ela cria há dez anos.

O rio Dami Nani Saduak tem tanto peixe, que as crianças se divertem. O tailandês é místico. Vive cercado de símbolos e imagens. Na frente das casas na beira do rio, existem pequenos templos, que eles chamam de "casa dos espíritos", servem para proteger e atrair a sorte.
Respeito, religiosidade e obediência são palavras que simbolizam a Tailândia. Mas, o templo também pode ser um lugar para se conhecer o futuro.
No fim, deve-se agradecer ao Buda. E ao Buda da prosperidade - os tailandeses que vivem às margens desse rio, devem agradecer mais ainda. Para esse povo que tem fé, é o Buda da prosperidade que garante a fartura que eles tanto precisam para trabalhar e viver feliz. Em paz."

Tirei  daqui este texto. http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL693529-15605,00.html



É uma delícia poder comer de tudo, provar o tempêro da comida tailandesa servida às margens do rio. As mulheres param o barco e te servem. Adorei tomar sopa, comer peixe e fruta.
Bom demais! Quero voltar...

Veja a beleza dos legumes! E flores enfeitando. Sempre!

Me lembro de ter visto crianças engatinhando nas varandas das casas. É de dar frio no estômago. Mas elas passeiam tranquilas, com as mamães do lado. Sem stress. Nasceram vendo o rio na porta de casa.

O sol é realmente escaldante. Me chamou a atenção a diversidade de formas e modelos de chapéus. Todas se protegem muito com mangas compridas,  e,  toda camisa tem uma espécie de aba que sai do punho pra proteger as costas das mãos. Muito legal. E esta aba é amarrada no dedo do meio.

Não é linda essa foto? Que senhorinha mais elegante!

Me lembro de ter visto cobra nadando. Normal...rs.

As casas ao longo do rio são sempre assim. Cheias de flores e de capricho. Tive oportunidade de entrar em uma delas, conhecer a família e sua forma de viver. Paz total.

A frutas tem um doce diferente. Deliciosas!

                      Já postei sobre a Tailândia. Se você quiser ver, procure no "Marcadores".
Quero uma bolsa dessa pra fazer minhas compras agora que não utilizamos mais saco plástico. Lindas!

sábado, 28 de maio de 2011

Tá indo pra europa? Vacine-se...sarampo à vista!




A doença que foi erradicada no Brasil desde  2.000 tá atacando lá fora. Peguei essa dica no blog da Lina. Tomem cuidado porque com sarampo não se brinca.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Algumas compras que fizemos e que valeram a pena em NYC

Roupas e utensílios pra crianças na BabiesRus
24-30 Union Square
Preço ótimos
Olhe o que comprei pro bebê de uma amiga, que acabou de chegar a este mundão de Deus. Você coloca pedacinhos de fruta dentro da redinha e o bebê segura e chupa o caldinho. A idéia é ótima. Nada de cair fruta no chão ou do pequeno engolir pedaços grandes. Vendem redinhas refil. Um barato!

                                                          http://www.babiesrus.com/

A loja da moda, Abercrombie da 5ª avenida tem os lançamentos com preços bem caros, mas na Outlet de Elisabeth-NJ, tudo cai pela metade.
Acredite se quiser...este gato aí tá la na loja da 5ª av, tirando foto com a garotada....calor!

http://www.abercrombie.com/

Century 21
22 Cortlandt St.
Jogo de cama full 600 fios por $19,97. Tem de um tudo nesta loja. Nosso interesse maior eram as roupas de cama. Os preços são inacreditáveis em relação aos preços daqui do Brasil. E a qualidade do algodão é fantástica.
Apaixonei por este porta-retratos. Tem vários modelos cada um mais lindo que o outro. O preço? $7 dólares. Só não comprei mais,  porque não tenho onde colocar.


                                                          http://www.c21stores.com/

Croc Soho Store
143 Spring Street
Tudo lindo e ótimos preços. Dá vontade de carregar a loja.
Comprei este tamanquinho fôfo e agora eles vendem clips pra gente colocar nos buraquimnhos. Escolhi meus preferidos. Pluto e Pateta.
                                                                  http://www.crocs.com/


Talbots roupa feminina
82st com Broadway
Pegamos uma liquidação dos deuses. Muita roupa linda e com preços muito bons.
http://www.talbots.com/

E a Macy's continua sendo ótima quando o que você procura está liquidando. Descobrimos um mocó no oitavo andar onde estavam liquidando casacos de frio. Todas as melhores marcas. Comprei este aí por $69 dólares.
Dica chiquérrima pra não ficar em fila em loja de departamento quiném a Macy's. Pegue sua tralha e vá pagar em uma seção que não tem ninguem, tipo a parte de móveis. Aliás, lá também é um lugar ótimo pra descansar. Procure o sofá que mais te apeteça, abunde-se nele e descanse na boa.




Mas eu acho que ainda sai mais barato você comprar pela internet aqui do Brasil e mandar entregar lá em NYC. Quando você chegar só vai comprar o que não deu pra encomendar e sair pro abraço nos passeios.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Uma das maiores alegrias que tive nos últimos tempos!

Eu sempre brinco falando sério, que  tive e tenho uma vida tão boa, mas tão boa, que deveria passar a metade do dia ajoelhada em grãos de feijão pra agradecer.
E devo a muita gente esta alegria de viver a vida, e o rumo que dei a ela. Meus pais foram figuras essenciais...duas figuras simples nascidas em cidades do interior das Gerais, mas com uma visão de mundo rara pra época que educaram a mim e ao meu irmão. Sempre fui "a diferente" da turma. Graças a eles. Confiança, otimismo e respeito, são as palavras chaves da educação que recebi.
Mas, não é sobre eles que vou falar hoje. Eles estão presentes e colados em mim todos os dias. Referências da minha vida.

Tive uma professora de sociologia que marcou muito minha vida. Quando a gente é adolescente, não percebe nada, ou quase nada do que tá sendo grudado na placa-mãe da nossa cabeça, e, nem sonha com o quanto vai ser importante toda aquela informação pro resto de nossas vidas.
Neusa. Ela se chama Neusa. Umas das maiores influências que recebi na vida.Tô sempre me lembrando dela, da sua forma de dar aula sentada em cima da carteira, o que era ousado pros anos 60. Da sua maneira de ensinar de falar sobre sociologia.
"A Sociologia é uma das Ciências Humanas que tem como objetos de estudo a sociedade, a sua organização social e os processos que interligam os indivíduos em grupos, instituições e associações."

Pense bem,  uma figura que sofreu com a ditadura militar nos anos 60, foi massacrada de todas as formas, física e mentalmente, dando aula pra um bando de adolescentes cheias de curiosidade. Era bom demais. E ficamos amigas. Era aquela professora que ia pra casa da gente, nós nos reuníamos na casa dela. E dá-lhe assuntos. Falávamos sobre tudo, sobre sua experiência no Projeto Rondon, sobre tortura, sociedade de uma maneira geral, costumes, direitos, deveres, deveres direitos.  Uma verdadeira ídola pra mim.
Depois que me formei, o rumo da vida foi tomando rumos diferentes e nos afastamos. Nunca mais vi a Neusa.
E domingo, esperando em SP o vôo pra BH,  quem eu vejo, depois de milhões de anos? Minha querida professora. Fiquei doidinha. Chamei por ela e ela não mudou absolutamente nada. Abriu um sorriso lindo e veio de braços abertos me cumprimentar. Me reconheceu? Claro que não! Mas imagino que este fato deve acontecer sempre e ela sabe que é ex-aluna. Estava com o filho, um gato, adulto. Quando a conheci ela não tinha filho ainda. Foi rápido o encontro, mas o tempo suficiente pra eu dizer a ela o tamanho da importância que ela teve em minha vida e ela me passar seu endereço, que não anotei de tão desorientada que fiquei, e esqueci o número. Só me lembro do nome da avenida. Mas, não tem problema. Ficou mais fácil encontrá-la. São Paulo é uma aldeia...rs.

Ps.: Só pra ilustrar,  um casinho entre os vários que ouvi e aprendi com a Neusa. De quando ela foi pro Projeto Rondon. Naquele tempo,  interior do Pará era o fim do mundo. Vários estudantes em uma cidadezinha daquele interiorzão de Deus e uma mulher ribeirinha começa um trabalho de parto. Já tinha vários filhos. E naquele sofrimento da criança não nascer, e dores, e gritos e desespero,  um dos estudantes, que tava no segundo ano de medicina, sem saber praticamente nada tomou coragem e foi ajudar. Não teve outra opção. Depois de muito tempo tudo findou, mamãe e bebê felizes, então este estudante resolveu conversar com o pai da criança e avisar que a mulher não poderia ter mais filhos. Outro parto ela não suportaria. Morreria. E o matuto, mais simples e ignorante impossível, virou sério e disse pro moço:
- E o que eu tenho que fazer? O que eu tenho com isso?
Parece mentira, mas quando lemos ou escutamos estes causus, ficamos sabendo que até hoje, lá nos fundões deste Brasil, mesmo com a televisão,  a informação ainda tá distante do povo. Muita coisa mudou e muita coisa precisa mudar.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma gata doando duas gatinhas

Tô repassando o imeio que recebi da minha sobrinha querida do coração.


Pessoas, tenho duas gatinhas lindas, fofas. Tem quatro anos uma e três e meio a outra. Estou com elas há cinco meses, mas meu nariz está pedindo ultimato. Ou elas ou ele. Minha renite alérgica me impede de ficar mais com elas, infelizmente.
Estou procurando alguém que ache as gatas tão lindas e fofas e engraçadas e divertidas quanto eu para cuidarem maravilhosamente delas.
Se alguém interessar, ou conhecer alguém que interesse, por favor faça contato com a tia Iêda.
Não precisa ficar com as duas, pode ficar só com uma se preferir.

Tirei as fotos delas lindas e maravilhosas posando na  minha casa,  no dia que ganharam brinquedinhos novos. São castradas. Quetinhas, não são bagunceiras. Uma é dourada e a outra é branca com preto.
Abraços,
Tereza


Se alguem se interessar, as duas estão morando atualmente em Belo Horizonte-MG.

Boas maneiras e respeito é bom e todo mundo gosta!



Assistindo nesta segunda-feira a Leda Nagle no Sem Censura,  antes de tudo me lembrei da minha mãe que sempre dizia:
- Educação nunca vai sair da moda!
Pra mim ela estava certíssima.

O assunto era viagem e o Fábio Arruda, que vi pela primeira vez "na Fazenda", falou de uma forma muito engraçada sobre um dos tópicos do seu novo livro,  "Etiqueta não tira férias"- educação dentro e fora do avião. E por coincidência, sempre observei o comportamento das pessoas pelos Caminhos por onde andei, nos aeroportos, aviões, onibus, rodoviárias. O que não falta é gente muito mal educada. Sem noção nenhuma do que seja dividir um espaço com o outro.

Sábado mesmo em NYC esperando o nosso vôo, ouvi mais uma vez um papo que sempre ouço nas salas de espera. Pessoas querendo contar pra quem não tá interessado em saber ( por isso falam tão alto)  todas as suas experiências em vôos, compras, cidades, mundo. É um tal de:
- NY já foi bem melhor pra isso ou praquilo. Há anos atrás (sinalizando  que já veio mais de uma vez) era muito mais fácil fazer isso ou aquilo.
- Não estou suportando estes aeroportos depois que viajar ficou acessível pra muita gente! Um horror a gente se misturar com essa gentinha!
- Olhe a bagagem daquela lá...muambeira com certeza!
- Antipatia de ter que ficar tirando sapato, passar em raio X. Antigamente era  tudo tão mais tranquilo...(outra dica de que é campeã em viajar, mas não aprendeu nada!).
E falam alto, muito alto, como se estivessem no quintal de casa.
- Fulaaaana, trás uma Coca pra mim.
E mais alto ainda, porque a outra já vai longe:
- Liiiiigth!!!

Dentro do avião também é duro na queda. Gente que espalha a bagagem de mão no bagageiro, achando que aquele espaço só a ele pertence.
Enquanto as pessoas se ajeitam pra viajar, uma das coisas mais indelicadas que sempre percebo, é já abaixar o encosto da poltrona e se esfacelar.Tipo, já me ajeitei, foda-se quem ainda não o fez. O pobre que vai se sentar atrás de uma anta desta, não consegue passar, se esforça, empurra o encosto e o outro se fazendo de bobo. Parece que sente prazer em ser mal educado. Não subir também o encosto na hora de jantar ou lanchar é outra falta de educação muito comum. Ou levantar derrepente o mesmo encosto fazendo você derrubar pra todo lado o líquido ou o que estiver tentando comer naquela falta de espaço.
E quem fica clicando no botão de chamar as comissárias, como se fosse um assunto muito urgente? As coitadas tentando ajeitar a vida de todo mundo e o mané querendo um copo d'água. Pode esperar nem um tico meu senhor?
Tô cansada de não ouvir um por favor, um muito obrigado,  em vôos. Passa a aeromoça toda gentil oferecendo bebida.
-Quer beber algo senhor?
- Coca.
Seco, sem nenhuma gentileza. Ela só está trabalhando, não é sua escrava!
A moça pergunta.
- Gelo?
- Não.
Ela entrega o copo e não ouve um grunhido sequer. Fico com vergonha pelos outros.

Outra que dá ódio. Pessoas que se apoiam no encosto da frente pra mudar de posição, ou se levantar. Você com a cabeça no encosto tentando se relaxar, derrepente uma mão arranca um tufo de seus cabelos. Dá vontade de dar um murro pra trás. E pode esperar, que o mesmo vai acontecer quando este infeliz voltar de onde ele foi. Vai de novo apoiar a mão na sua cabeça e arrancar o tufo que ficou.
Duro!
E aqueles pais que dizem pro garoto que não para de dar empurrão no seu encosto, chupes, bater os pés:
- Olha que a tia vai se zangar com você!
Me zangar com a criança, nem morta! Matar os pais já me passou pela cabeça várias vêzes.

E preciso me concentrar, respirar fundo pra não me estressar quando o avião coloca as rodas na pista e já começamos a escutar os clic-clic de cintos de segurança se abrindo.
Ontem chegando aqui em BH, um zé mané fez isso, e ouvimos na mesma hora o comissário dizer:
- Ainda não foi autorizado desafivelar os cintos, estamos taxieando. Por favor respeitem os avisos, etc..etc..
Não aguentei e disse:
- Bem feito! Podia ter dormido sem essa.
Ele, que tava duas filas na minha frente, nem olhou pra trás. Antipatia!

E os celulares? Até parece que o mané que tá esperando o viajante no aeroporto não sabe, e precisa ser informado de que acabamos de chegar, e que o aviso tem que vir de dentro do avião. Os quadros de horários dos aeroportos não são confiáveis, deve pensar este povo! Nem bem acabamos de aterrizar já começamos a ver as luzes dos celulares ( que só devem ser ligados quando você sair do avião ) e os jacus dizendo:
- Cheguei. Daqui a pouco a gente se vê.
Dãnn...
Não, desceu no meio do caminho!!! Se ligou dizendo que tava dentro do avião e partindo, pra onde pode ter indo neste tempo?
Ou:
- Fiz boa viagem. Você já tá chegando? Ah! Já chegou? Tô saindo. Eta moleza. A fila não anda. Povo lento! Não sei porque demoram tanto pra abrir esta porta!
Deve ser porque querem colocar uma escada ou um túnel pra ficar mais fácil pra você ir do avião até o prédio do aeroporto! Esta pessoas não pensam, que uma escada mal colocada pode causar um acidente horrível. Já prestaram atenção na altura da porta do avião até o chão?
Até parece que é um médico aflito, indo fazer uma cirurgia que só ele pode realizar. Última esperança do doente.
Tem que ter muita paciência mesmo.

Ainda tem a turma que me dá dó de ver chegando pra viajar com saltos altíssimos, calças coladas, botas de salto alto e fino, justas nas pernas. Depois de 10 horas apertada numa classe econômica, mal assentada, mal alimentada, calor, frio, pressurização, sem conseguir dormir, os pés chegam inchados, um pão de forma, e a negada sai mancando, ou com metade da bota desabotoada, arrastando o sofrimento pelos corredores. A vaidade causa sofrimentos inesquecíveis pra esta turma que morre mas não sai do salto. Estas cometem uma falta de educação para com elas mesmas. Falta de respeito para com o próprio corpo.

Você tem também experiências parecidas pra contar? Conte pra nós. Vamos tentar fazer com que as viagens já tão cansativas, sejam  mais relaxadas, mais amicáveis, colaborar com o colega do lado sendo gentil e prestativo. Não custa nada ajudar alguem a colocar uma mala pesada num carrinho. Pense sempre em como você gostaria de ser tratado. E faça o mesmo com o outro.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Babando com a viagem do próximo!

Um casal de amigos queridos fez uma viagem maravilhosa e encomendei dicas pra você. Muito gentis, eles me passaram além das dicas de hoteis e spas, fotos de fazer você querer pegar o primeiro vôo. Destino: Tailândia, minha querida do coração, e Bali, que ainda não conheço.

Eu não sou muito chegada a praia, então das três vezes que fui à Tailandia, nunca pensei em chegar até o mar. Mudei de idéia vendo estas fotos.

A gente fica completamente apaixonada pelos cheiros, cores e sabores.


Phuket (Patong Resort Hotel - www.patongresorthotel.com ) e
Phi Phi (The Beach Resort - Long Beach www.phiphithebeaach.com – simplesmente ma-ra-vi lho-sos! Uma natureza exuberante! O paraiso das pérolas!


Estacionamento de barcos. Não sei se é, mas que parece, lá isso parece!...rs

                         Quem já não viu este paraiso em filmes? Boravamo conhecer ao vivo!
Bali (Pelangi Bali Hotel & Spa - www.pelangibali.com ) foi o lugar mais incrível que conheci. Palavras da Fatinha.

Fiquei apaixonada pelos altares de oferendas espalhados por todo lugar, todo cantinho, toda porta de casa. Cheguei a comprar colares de flôres pra fazer oferendas. Muito lindos. E minha amiga também se encantou. Este é um charme só.

Quer comer bem? Vá pra Ásia...saudades!


Pessoinhas mais lindas e delicadas.


Tuc-tuc...é ir andando, morrendo de mêdo e dando crise de riso. Tudo junto e misturado. Fora a emoção!


Descontração total, a vontade mesmo..... 24 horas de havaianas e short, aí que saudades!!!!! Muitos restaurantes bons, muitos frutos do mar, aliás, eu só comia camarão e tofu!!! Muita coisa bonita, muitas lojas bacanas, roupas de seda (esta aqui era a mais linda: Uluwatu - Handmade Balinese Lace www.uluwatu.co.id ) e de um algodão maravilhoso, roupas de marcas, artesanatos de madeira, madre-pérola, tecidos, bordados .... Eidia, é de enlouquecer! Dá vontade de comprar tudo porque os preços são ótimos. O povo mais sorridente que já vi.

Bangkok também foi muito, muito bom. Ficamos por lá 10 dias inteiros e exploramos a cidade o máximo que pudemos.

O calor era intenso, muitos carrinhos de frutas nas ruas, docinhas, muita água também. A comida maravilhosa (apesar da pimenta), o cheiro de incenso no ar (que eu adoro), o povo igualmente gentil, educado e extremamente alegre, muitas flores, o que me obrigou a tirar muitas e muitas fotos, os templos lindos como nunca vi igual!!!!! Mercado flutuante, lindo, amei!! Até rasquei um francesinho por lá com uma vendedora (hahahahahaha). Ela queria 1.500.00 Baths por uma calça de algodão tipo saruel eu ofereci cinq cents – comprei!

Passeio de elefante e Tuc-Tuc por toda a cidade, e o famoso mercado em Chatuchak (aqui nós compramos uma lembrança para vc, era impossível não levar pois era a sua cara!!!!!) ( o negrito é meu, porque adorei esta parte...hehehe) um lugar incrível, como vc já deve conhecer. Ah Iêda, e as massagens???????? É de matar!!!!!! Fiz todas que deu tempo! Descobrimos um Spa fantástico, Health Land - www.healthlandspa.com (muito chik).

Muita coisa bonita pra comprar, os preços era bem legais , não tão bom quanto os de Bali mas ainda assim muito bons.

Agora é só você dar um passeio pelos sites que a Fatinha indicou e começar a se programar pra viajar.


Foto eleita pela minha querida amiga, como "A campeã das campeãs". Concordei em todos os quesitos.
 
Obrigada amigos.

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...