sábado, 10 de setembro de 2011

A Horta da Luzia nos Hospitais


A semana passada em São Paulo, fiquei na casa de uma amiga querida, pediatra , que tá fazendo residência lá. E assuntos médicos não faltaram. Causus principalmente. Ela me prometeu enviar uma lista. Anotei pra começar estes aqui.
Criança explicando seu problema pra pediatra:
- Meu nariz tá escorregando muito!

E então dona Maria, o Zezinho tá melhor?
Perguntou a pediatra.
- Não doutora, por isso eu voltei. Acho que os remédios não tão dando certo.
- A senhora deu direitinho, nas horas certas?
- Dei, como a senhora mandou. Às 8 da manhã e 8 da noite.
A médica havia dito de 8 em 8 horas.
A partir daí mudou a forma de explicar e passou a fazer tudo também por escrito.

E então, Sr Fulano? Feliz com a menininha? Vocês já tem um garoto, né?
- Feliz demais! Temos o Ocitelta.
Santo Deus! Pensou a médica.
- E já escolheram o nome da menina?
- Já.
Disse todo contente.
- Vai se chamar Anacitelta.
A médica imaginou. Talvez "citelta" seja  alguma saga, nome de família, sei lá!.
Mas quase caiu dura quando descobriu que o pai era atleticano doente.
Então ela leu os nomes de trás pra frente.

E o casal muito, mas muito simples vai ao médico.
O moço entra sozinho, mais tímido impossível e quando sai a mulher pergunta se foi tudo bem e se tinha remédio receitado.
O marido diz:
- O doutor mandou comprar isso aqui e colocar via anal.
-Que isso, Zé?
- E eu lá sei!
- Então vai lá e pergunta pra ele.
Foi e voltou.
- E então.
- Ele mandou colocar via retal.
- E isso é o que?
- Sei lá,  Maria.
- Não adiantou nada. Volta lá e pede pra ele explicar e não volte enquanto não entender.
- Vou não. Nem morto! Se eu volto lá de novo, ele vai brigar comigo, já deve tá nervoso e vai acabar me mandando enfiar essa porra  no tu.

E a melhor de todas pra mim.
Mesma amiga, pediatra atendendo trocentos meninos num hospital público. Chega mais uma vez na porta e chama:
- Ulto! Uuuuullto!
Nada, e já era a quarta vez que chamava.
Derrepente apareceu uma mãe e reclamou que estava demorando pra chamar seu filho. E quando a médica perguntou o nome do filho e a mãe disse, constatou que era quem ela havia acabado de chamar.
Escrevia de uma forma e falava de outra.
O pobre coitado se chamava  mesmo Ulto U eli tô
Escrivão sacana!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

hhheeeeeeee...que bom já começar o sábado rindo.
Um beijo
Lia

Ieda Dias disse...

E continuar, Lia. Ótimo fds.
bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...