quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Rejeito autoridade. Detesto ouvir pessoas decretando normas!



Eitia, que quanto mais velha vou ficando a chatice vai aumentando na mesma proporção.
Não que eu esteja ficando implicante, intolerante sim. Não fico enchendo o saco de ninguém, mas  me irrito. Nada exagerado, mas me irrito. Tá difícil de aguentar certas coisas que já achava que eram pura besteira desde sempre, e que infelizmente, a cada dia estão se tornando cada vez mais recomendadas. Às vêzes impostas.
Explico.
Por exemplo. Não tenho a menor paciência com quem vem na tv falar sobre o que pode e não pode usar. O que combina e não combina. As pessoas falam com uma propriedade, com uma certeza, que dou valor.
Esta semana vi uma moça falando sobre foto e moldura. O assunto me interessou porque adoro porta-retratos. E coincidentemente duas amigas tinham acabado de dizer o quanto eram lindos alguns porta-retratos meus. A tal moça decretava que moldura é moldura, e foto é foto. Nada de moldura rebuscada, colorida, porque a foto fica apagada. Nada de colocar vários porta-retratos juntos, porque assim ninguém vê nada. Só se vê um amontoado, segundo ela.
Eu , que não tô nem aí pra combinar nada com coisa alguma,  iria matar de raiva essa moça se ela viesse na minha casa. Todas as fotos estão em porta retratos, que de simples e invisíveis não tem nada. E tem amontoados deles em dois lugares. E assim continuará até quando eu quiser.
Outra lei é combinar cores de roupas. Pensem bem. A mistura de Frida Khalo que eu amo e uso há trocentos anos, que já foi excomungada e jogada no fogo do inferno no passado, agora pode! Pode laranja com vermelho, vermelho com amarelo, verde com amarelo. A autorização pra poder usar isto ou aquilo  muda de ano pra ano. 
Alguem se lembra de quando usávamos bolsa combinando com sapato? Usávamos? Eu não! Nunca usei.
Alguem se lembra de quando não podia colocar uma peça de ouro misturada com prata? Eu sempre coloquei e já fui amaldiçoada e olhada de banda por isso. Agora,  pode!!!
Gordo não pode usar listas na horizontal, nem magro na vertical. Esta ordem é suficiente pra eu comprar no mesmo dia uma roupa assim.
Ordens que eu aceito. Melhor você não comer isso e isso porque sua saúde vai ficar abalada. Melhor você fazer esta pequena cirurgia pra não ter problemas futuros. Mesmo assim, nem médico me dá ordens. Sempre dou uma pesquisada fazendo uma média entre três opiniões, no mínimo, pra depois aceitar a sugestão.
Um dos maiores arrependimentos que tenho na minha vida, foi de ter permitido que um dentista me arrancasse um dente ciso. Choro até hoje esta falha na arcada dentária. Acreditei nele e permiti. Não era necessário. É um dente lá no fundo, o último, ninguém vê que ele não tá lá. Só eu. Mas é o suficiente pra eu me aborrecer sempre que me lembro.
Never more.
Móveis que podem ou não ser colocados ou misturados com outros, cores de paredes que tem que ser de um  azul que tá na moda; coloque determinada planta na sala, agora tire porque caiu de moda. Até cachorro entra na moda. Gato também; os pobres dos hamsters saíram de moda. Pra onde será que foram?
Você ainda tem este tênis? Não acredito que este sapato ainda exista! Tanto existe que tô usando! Ainda tá em ótimo estado.
Reconheço. Tô piorando na chatice. Reconheço também que as pessoas tem perdido muito tempo e muita grana com muita besteira.
Quem sou eu pra julgar! Mas, como dizia o sábio Sérgio Porto, o melhor da televisão é o botão de desligar.
E eu desligo botões e muitas sugestões com a maior tranquilidade.

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Ieda!
Sou habituée por aqui. Hoje, resolvi palpitar. Essa patrulha da moda é um saco mesmo! Nos blogs de decoração ela também está presente: tapete tem de ser maior que o sofá, cortina tem de ser até o chão, e uma montanha de regras que surgem todos os dias porque "devemos" ser "in". Bah! Outro dia uma dona aí escreveu um post falando mal dos tijolos de vidro. Então, você imagina que a casa dela deve ser um templo do bom gosto. Morri de rir: tantas regras e uma casinha bobinha, em que o "máximo" de criatividade foi pintar a sala de cor de rosa. Sofá descosturado, e por isso coberto com manta e por aí vai. Pra ditar normas, é preciso servir de exemplo. Ser pedra é sempre mais fácil que ser telhado... Que o diga o PT.
Beijos!
Maria

Ieda Dias disse...

Maria querida, essa ditadura, como todas, me dá enjoou........e o pior, são as pobres pessoas q aceitam como cordeiros as normas...domage!
bjos bjos

FATIMA disse...

Eidia, te conheço e sei da sua opinião, mas ñ poderia deixar de te parabenizar pelo dito. Muito bem!!!! Tomara q muitos leitores tenham a oportunidade de ler e pensar um pouco no assunto. Quer saber uma coisa q me deixa doente?? São as festas de casamento de hoje em dia! Sim são lindas, sem dúvida, mas para mim estão longe de parecer um casamento! Observe como a simplicidade junto com o bom gosto pode ser super elegante.
Bj
Fatinha

Regina Rozenbaum disse...

kkkkk essa é nossa Iêda amaaada! Acabo de descobrir, lendo, que tô véia e burricida!!!
Beijuuss n.a.

Ieda Dias disse...

fATINHA VC TEM TODA RAZÃO...VOU TE MANDAR UMA FOTO LINDÍSSIMA DO CASAMENTO DA KATE mOSS. uM RETRATO DA SIMPLICIDADE E SUPER LINDA]
BJOS MEU BEN

Ieda Dias disse...

Regis, cada um implica com uma coisa. Esta ditadura me deixa furiosa...rs
bjos bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...