quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Aborto; legalizar é parte da solução do problema




- Eu não quero uma menina.
- OK, mas nos vou anotar que é por uma outra razão, pra deixar no seu dossiê. Dizer que você é muito jovem pra ser mãe, tá bom pra você?

Cena filmada por uma câmera escondida pelo jornal britânico The Daily Telegraph, que fez esta semana uma enquete sobre aborto ligado ao sexo na Inglaterra. As investigações do jornal, mostraram trezentas clínicas clandestinas de aborto.

Ao contrário da maioria dos países da Europa, incluindo a França, as mulheres na Inglaterra, pra fazerem um aborto devem justificar sua decisão perante dois médicos, que deverão dar o seu acordo. As justificativas aceitas pela lei de 1.967, são a nível médico ( gravidez que coloca em risco a vida ou a saúde da mãe, criança com problemas de má-formação ou deficiente físico) e pro lado social ( a mãe não tem condição de criar uma criança). Fazer um aborto por causa do sexo da criança é ilegal.


Outro caso filmado em Birmingham. 
A paciente explicou que queria abortar porque estava grávida de uma menina e seu marido queria um menino. Só se fosse menino. 
- É este o seu motivo? Mas não pode! Você está no período que ainda pode fazer o aborto, mas esta é uma forma de infanticídio feminino, disse o médico.
- Será que não podemos colocar outro motivo no dossiê? Pergunta a paciente.
- Sim, porque essa não pode. Eu vou colocar que você é muito jovem pra ser mãe. Disse o médico sorrindo.

E em uma outra clínica de Londres, uma médica também concordou que outra paciente não tivesse um filho.
- Meu marido já tem um menino do primeiro casamento e a gente não quer um segundo, se justificou a mãe. 
Segundo o jornal, os pais não querem dar continuidade a uma gestação por conta do sexo da criança, eles querem "equilibrar" a família afim de não ter só meninos ou só meninas.

  • "Uma prática totalmente repugnante", foi o que disse o Ministro da Saúde. Segundo ele, as leis foram feitas pelo Parlamento, não pelos médicos e se estes não estão de acordo e tem alguma coisa contra devem dizer e não cometer atos ilegais.

    Traduzi parte deste post daqui:
    http://www.lefigaro.fr/international/2012/02/24/01003-20120224ARTFIG00448-des-avortements-selectifs-font-scandale-au-royaume-uni.php


    Não penso que alguem seja a favor do aborto puro e simplesmente. Ninguém pensa:
    - Vou engravidar porque quero fazer um aborto.
     Mas ao mesmo tempo, penso que as pessoas tem o direito de decidir sobre a sua vida, seu futuro e o futuro de uma criança que não querem naquele momento.
    Vendo estes casos e alguns outros, fiquei pensando; ainda estamos lutando no Brasil pela legalização do aborto. Temos que estar preparados pros problemas e dúvidas que virão, depois da legalização.

Andando de ônibus em BH

Sempre que entro em um ônibus me lembro de um amigo que dizia:
- Muito cuidado com o povo de ônibus.
- Uai! Por que?
- Já olhou pra dentro de um ônibus? Todos estão olhando pra fora. Vêem tudo. Não deixam passar nada.
Verdade.
Menos eu, que hoje fiz um longo percurso e só observando o povo de dentro do ônibus. Só perdi do lado de fora, uma placa que queria fotografar e não deu tempo. Um brechó chamado " Só não vendo a mãe". Adorei o nome, e se tivesse com tempo ia entrar e pedir um pai pra levar pra casa...ainda passo lá um dia pra fazer a brincadeira. Pensei também em pedir um moço bonito pra embrulhar e degustar em casa...rs.

Fiquei observando o pessoal e as poesias penduradas em cada banco. Não vi ninguém lendo. Aliás, vi uma senhora reclamando que " cada um que passa embola com essa coisa!" Ri sozinha.
Eu sempre leio e tem poesias legais. Pro meu modo de pensar, deveriam ser poesias com uma escrita mais simples, de humor. Ninguém tá com saco pra ficar queimando mais ainda os miolos com poesia concreta ( não sei se ainda chama assim) dentro de um ônibus quente com um calorão dos infernos. Por falar em inferno ontem ouvi uma boa com o Leo Jayme:
- No Rio tem as 4 estações sim; primavera, verão, outono e inferno.

Moça prevenida. Abanava com tanta velocidade o leque,  que sobrava até um ventinho pra mim.

Esta dai é mais simples. Gostei. Poesia brasiliense. Do outro lado tinha uma muito boa do Affonso Romano de Sant'Anna.

Sempre reclamei que em BH deveria colocar nomes nos pontos de ônibus. Pronto. Colocaram e ficou bem melhor pra você indicar a alguem como chegar a um lugar. E, dentro de alguns ônibus já tem o mapa do percurso também;  melhor ainda. No meu de hoje não tinha.

A av. Paraná tá precisando que alguem da Prefeitura passe por lá e olhe com olhos de revitalização.
Ninguém leu enquanto eu estava no ônibus, mas o plástico serviu pra aplacar o calor desta moça. Como dizem lá na roça:
- É bão tamém!

Este percurso todo, foi pra chegar no Mercado Central e comprar meus petiscos preferidos. 

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Óooodio de mim mesma!!!


Lembrei de outro causu da Princesa. (pra entender melhor, veja os outros no Marcadores)

Então lá fomos nós  passar a Páscoa na casa de campo dela em Avignon. 
Ela de carro novo, tacou o pé no acelerador sem nem conhecer o carro direito. Um susto atrás do outro. Teve um momento que eu disse: 
- Você não acha que tá com o pé meio pesado?
Ela respondeu na maior cara de pau:
- Não estou nem sentindo. 
No que eu disse:
- Mais um motivo pra maneirar. 
Eu mereço!
Mas não é este o caso. 
Um belo dia, ela foi tomar banho. O quarto dela  ficava no segundo andar da casa.
Eu tava fazendo não sei o que  embaixo e de repente ouvi os gritos dela:
- Socoooooorro! Socoooooorro! Iêeeeeda! Iêeeeeeeeda!
Nem me lembro no que pensei que poderia estar acontecendo. Corri pela casa que era enorme, subi as escadas num pé só e fui seguindo o som dos gritos.
Já fui entrando no quarto dela e sentindo o drama. A água vinha do banheiro quiném uma cascata.
Ela em pânico gritava:
- Faça alguma coisa, por favor!
Quem tá no meio da confusão não tem condição de pensar. A primeira coisa que fiz  foi fechar a torneira e puxar a tampa do ralo. E, logo em seguida, fui jogando no chão as toalhas de banho que estavam no banheiro. Todas...  todas enormes, felpudas e lindas toalhas Hermés.
A coisa foi se acalmando aos poucos,  menos a Princesa,  que continuava esbravejando agora com ela mesma.
E acreditem se quiser; ela gritava de ódio dela mesma. E dizia:
- O pior de tudo é que não tenho ninguém com quem  brigar, colocar a culpa. Eu fui a culpada. Coloquei a banheira pra encher e me esqueci.
E ficou mais espumando ainda quando eu concordei dizendo:
- É verdade. Dessa eu me safei...hehehe.
A raiva dela era não poder ficar brava comigo ou qualquer outro plebeu. Queria arrancar meu coro se pudesse...rs.
Mas estar em panico pela água que escorria ela tinha razão. A casa, uma antiga fazenda maravilhosa  com assoalho de madeira cheio de grandes frestas, deixaria cair lá em baixo a água molhando tapetes persas, sofás  que pertenceram  ao rei de sei lá onde, fora os Picasso e os Monet.
Um drama só.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Amigos, risos, amor, mesa farta, sol, verde e calor; todos merecemos!


Este aí, carente como ele só, colou na minha bunda. Fui fazer a gracinha de cumprimentar educadamente quem  primeiro nos recebeu e ficou achando que já era meu amigo.

Segundo seus donos ele é bebê. Imagino, que quando virar adulto vá se transformar em cavalo de tão grande.
Curuz!

Muro maravilhoso e flores mais ainda. 
Cantinho lindo!

Eu sou aquela sonhadora otimista, que acha que todo ser humano tem direito a ter um canto  pra morar. Da forma que ele quisesse e fosse possível, mas que pudesse chamar de seu.

E comemos verdura da horta caseira. Um dos grandes prazeres da vida: poder  colher e comer o que plantamos com nossas próprias mãos.

Eu não sou chegada em mato, mas poder ter todo o conforto da cidade com uma mata como quintal, isso é privilégio de poucos. 
Uma pena que seja!

E com cascatinha e tudo. Quando chove forte vira banho de cachoeira.

Isso me deixa feliz. Alguem precisou quebrar este galho mas a folha que já estava a caminho não se intimidou com o golpe. Continuou com sua missão e brotou gloriosa. Desejo longa vida pra ela e todas as irmãs que virão atrás.

Musgo. Sou ligada em um musgos. Meu primeiro contato com eles foi em presépio na minha infância.

Muito trabalho, muito esforço e muito querer, fez os meus amigos queridos poder conquistar este canto, que mais parece um pedacinho do céu.

Varandar, espreguiçar, tomar sol, ler, descansar, dormir depois do almoço, papear num fim de tarde, e às vezes passar dias sem nem tomar conhecimento deste espaço delicioso por exclusiva falta de tempo. 
Vida moderna.

O que você vê quando chega na porta da frente da sua casa? Nem digo o que eu vejo pra não quebrar este encanto de vista...rs.



domingo, 26 de fevereiro de 2012

Logo do GOOGLE, amo!

Você viu todos estes? Arrumei mais uma coleção na minha vida. Tenho poucas, né não?

Marie Curie
Matchu Pitchu






Familia Adams

Queda da Bastille
José Luis Borges
Burle Marx
Charles Chaplin

Diego Rivera

Galinha

Aniversário

Moscou


Popeye

Aniversário




sábado, 25 de fevereiro de 2012

O francês rindo dele mesmo

Conversando ontem com uma amiga francesa ri muito da piada do momento por lá; quem disse que o francês é mau humorado é porque não teve tempo de conhecer algum por mais tempo. Eu rio muito com meus amigos e eles adoram o nosso senso de humor.
Este ano tem filme francês cotado pra ganhar o Oscar. 
O Artista, Diretor: Michel Hazanavicius
Elenco: Jean Dujardin, Bérénice Bejo, John Goodman, James Cromwell, Penelope Ann Miller, Missi Pyle, Beth Grant, Ed Lauter, Joel Murray, Bitsie Tulloch, Ken Davitian, Malcolm McDowell.
Foi filmado em preto e branco e é mudo, como todo mundo que gosta de cinema já sabe.
 A piada é assim:
 - É bem capaz da gente levar o OSCAR este ano. 
Por que?
Porque americano só aguenta francês de boca fechada.


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Dica muito chic pro primeiro fim de semana do ano

Agora que passou o Natal, Ano Novo e Carnaval e que as grandes ressacas de comilança e bebedança só voltam a acontecer daqui há alguns meses, ( com pequenas recaídas de praxe) que tal uma desintoxicada com este churrasco fresquinho e leve.
Prepare tudo pra esse final de semana e chame alguns amigos. Não muitos, senão começa a coisa toda de novo.


" Comprei algumas berinjelas, abobrinhas, cebolas, batatas e alhos, itens que já me acostumei a preparar na brasa, como acompanhamento para as carnes do churrasco, e também algumas novidades (para este churrasqueiro): aspargos, tomates, cogumelos (uma bandeja de shitake de tamanho médio), beterrabas, cenouras (poderia ter ainda endívias, por exemplo), além de queijo de cabra (da Cremerie Genève, evidentemente) e gorgonzola, só para brincar um pouquinho. Faltou um belo palmito fresco, para mostrar que nem tudo é perfeito (imagine com um pesto fresquinho batido no pilão!). 
. E peguei dois azeites especiais, um vinagre de Jerez da Olivers & Co também muito especial, flor de sal, sal temperado de Visconde de Mauá
Marinei cogumelos e a abobrinha em vinho branco, com alho fatiado, e um pouco de azeite. Para a berinjela eu escolhi azeite, só para variar (mas podia ter invertido tudo), temperando com pimenta-do-reino (moída na hora, claro) e um toque de orégano, mesma erva usada para aromatizar os tomates carnudos e vermelhões, que também ganharam pitadas de flor de sal e uma colherada de açúcar, para dar um toque doce.
Depois de bem lavadas, cenouras, batatas e beterrabas ganharam uma proteção de papel alumínio, porque esses vegetais precisam de cozimento mais longo, e foram os primeiros a serem colocados - se não forem protegidos, das duas, uma: não cozinham (o que não é mal no caso da cenoura e da beterraba) ou queimam a casca, quando não os dois. Logo depois entrou a cebola, que não precisa ser protegida porque tiramos uma camada de sua casca na hora de servir, então ela pode queimar à vontade. Para o alho, vale tirar uma tampinha de uma cabeça inteira (para facilitar a remoção de cada dente depois de assado), para então depois colocar alecrim e envolver com um papel alumínio. A cenoura e a beterraba, alimentos que contém açúcar, ganham um sabor raro quado essa doçura cozinha (algum processo químico acontece ali, e o sabor é sensacional)."

O pré-preparo vira uma água na boca só!

Aspargos crocantes...nhammmm....

Delicia as abobrinhas! 

Beringela enroladinha no queijo de cabra. Só falta o pão ciabata.

Copiei daqui, aproveitando parte do texto:
                                                    http://oglobo.globo.com/blogs/enoteca/

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Assistir tv faz parte do livro da vida

Quando pensei em escrever este post a idéia primeira era só compartilhar com você tudo que assisti durante anos da minha infância e adolescência. Mas a medida que foram vindo à minha memória todas as séries, pensei noutra coisa. 
Hoje em dia existe uma grande discussão a respeito do tanto que as crianças vêem televisão, jogam games, e ficam apertando botões o dia inteiro se deixarem.
Olhe só; há relativamente muito pouco tempo temos tanta opção de lazer, principalmente na telinha. Na minha infância os canais eram 3 ou 4, e durante quase toda minha vida foi assim. Não me lembro de quando comecei a assinar a tv aberta, mas foi ontem, em relação ao tempo que fiquei vendo só os canais convencionais.
Estes são apenas alguns programas que assisti até o final de cada série. Sei de cor ainda hoje um monte de falas, me lembro dos nomes de quase todos os meus ídolos e tem mais.
Durante estes anos, fui a festas, dancei até virar o calcanhar pra trás, namorei, pulei carnaval os quatro dias sem parar,  namorei, fui à praia, estudei, vi mil filmes e mil peças de teatro, namorei, escutei não me lembro quantas músicas em compania de amigos e fui a centenas de shows. 
Pra encurtar a conversa, cheguei a conclusão que é uma besteira ficar preocupado e podando a garotada do que a vida tá oferecendo pra eles agora. Tudo isso vai virar aprendizado, tudo vai virar uma memória gloriosa, um livro, que como o meu tá agora  na página  22.995  ( tente adivinhar de onde tirei esse número) e espero ainda chegar pelo menos até a página 32.850 porque sei que quanto mais eu ler/viver, mais feliz e melhor pessoa poderei ser.

O Vigilante Rodoviário. Com Carlos e seu cão Lobo. Os cachorros na década de 60 se chamavam, Lobo, Rex , Peri ou Bob. 
Tempos em que um cão e um sujeito numa moto davam conta de tomar conta dos problemas de uma estrada.

Delicia de toda uma geração. Rin-tin-tin, cabo Rusty e tenente Rip Masters. O menino era órfão de pai e mãe e isso nunca preocupou a gente nem fez a gente ficar com pena dele.
A minha grande decepção foi saber que o Rin tin tin  já tinha morrido há muitos anos e quem  atuava eram  seus filhos. Cão policial é tudo igual...hehehe...

Adorava a forma que O Homem do Rifle,  Lucas McCain (Chuck Connors) girava o rifle na mão como se fosse um bastão de baliza

Gene Barry era o Bat Masterson...ainda canto a música tema todinha de cor. Outro xerife

Dr. Kildare  foi um médico representado pelo Richard Chamberlain e fazia todas as garotas gemer sem sentir dor...

Adoro até hoje. I love Lucy. Bom demais Lucille Ball, seu marido Desi Arnaz. e pra melhorar, ainda tinha a Ethel e seu marido Fred, Vivian Vance e William Frawley, que eram os vizinhos.



Vince Edwards fazia o Dr. Ben Casey .
Eu preferia esse aí. Meu faro desde cedo já começou a funcionar. Era meio House. Mais largado, barba por fazer, não tão arrumadinho quanto o Kildare.

Estes também eram uns arrasa coração. Todas nós morríamos pelo moreno e mais safadinho em Rota 66, George Maharis, que interpretava Buz Murdock. O ruivo era o  
Tod, Martin Milner.  Fazia o tímido (há quem goste) 

Sonho americano dos anos 60. Papai Sabe Tudo. Meus primeiros contatos com a vida americana, casa, utensílios domésticos, inverno, verão, hábitos, família.
 Muito bom.

Combate. Adorava os personagens do Tenente Hanley (Rick Jason) e do Sargento Saunders (Vic Morrow).

Tan tararan taran taran......bonannnnzaaaaaaaaa!!!! Tantararan tararan tan tan!!!!
Quatro filhos, cada um de uma mãe. E dai? A gente questionava bem menos....rs

Amava o Tunel do Tempo. Cada semana os rapazes caim em um tempo diferente. Era muito bom!

O Agente da Uncle. Também não perdia. Depois o louro fez o Homem Invisível. Alguem se lembra? Ele começava a ficar invisível, retirando a cabeça. Altos efeitos especiais...hehehe...

Agente 86. O rei das atrapalhadas e a paciente 79 que era apaixonada por ele. Só mesmo uma paixão pra aguentar tanta burrice.

Mary Tyler Moore. Era muito bom também. 
O chefe dela era o máximo. E eu sonhava em trabalhar naquela redação e morar sozinha quiném ela.

Minha paixão até hoje, James Garner. Que nariz, meu Deus! Ele era o Maverick, jogador de poquer profissional. 

Daniel Boone. Vi todos também.

Sallie Field...A Noviça Voadora. Era um riso só. Uma atrapalhada atrás da outra. Mas depois ela arrasou como a mãe do Forrest Gump.

Quem já não morreu de raiva do Dr Smith?  Detalhe das roupichas de todos Perdidos no Espaço.

Denis ,o travesso ou O Pimentinha.  Adorava as atrapalhadas dele e o carinho da vizinha Marta, esposa do  Sr. Wilson . Ela tinha a maior paciência do mundo com o pestinha.

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...