sexta-feira, 9 de novembro de 2012

117 pessoas atendidas em 8 horas de muito trabalho!

 To percebendo uma coisa bem legal em nosso Hospital. As pessoas já começam a sentir confiança de que estaremos aqui nos dias e horas marcados, e que por isso não precisam chegar muito mais cedo nem se embolarem pra serem atendidas. Todas serão atendidas. 
Ontem quando cheguei, às 2 da tarde só tinham estas duas senhoras.

 Um de nossos fiéis ajudantes voluntários, explicando ao paciente como funciona o atendimento

 E aos poucos eles foram chegando

 No nosso Brasil do século passado e em algumas regiões até hoje, as pessoas guardavam seu dinheirinho embrulhados em lenços. Aqui também. E as mulheres embrulham na cintura, amarrado no sari.

 Criança sempre arranja uma forma de se divertir quando fica entediado com a espera...mesmo com o pingulim encostando no chão!


 Fazendo a ficha pra ser atendido. Cada um vai ter uma espécie de crachá com foto e os dados principais. Quem já tem só pega a guia de atendimento e não precisa fazer mais ficha. Ganhamos tempo.
 Esse gatinho tossia de dar dó...tipo tosse da cachorro. Fiquei preocupada quando vi os olhinhos muito vermelhos de tanto fazer força.

 Veio com a mãe e o irmão e voltou com os medicamentos pra casa.

 Olhe só que dupla na salinha de espera, esperando pra serem atendidos! Numa hora assim, queria muito poder falar a língua da terra...Muita coisa pra conversar, perguntar, aprender!

 Muita gripe, muita tosse, muita infecção, problemas de pele por conta de falta de higiene...

 Cadeira realmente não faz muito sucesso por aqui!

 Por mais que eu queira fazer fotos de um grupo ou só algumas pessoas, não adianta! As crianças sempre pulam na frente pra saírem também.

 Já no final da tarde tive a sorte de pegar essas duas garradas na conversa, sentadinhas na beira do caminho esperando pra serem atendidas.
E o sol se pondo!

 Estas estavam voltando do mercado e pararam pra se informar. Voltarão no próximo sábado com a família

 O jantar de hoje promete...deve ser dia de pagamento...rs

E passa boi, passa boiada, passa cabrito, porco...
 
Hoje fizemos nosso primeiro atendimento em casa. Já tava anoitecendo e eu disse: 
- Melhor levar a lanterna.
- Precisa não, lá tem luz! Disse a dona da casa
Tinha sim. Uma lamparina... Um breu dentro da casa


 Mas eles não se apertam...acharam uma solução rapidim. Carregaram a cama com o paciente e tudo pro meio da rua. E foi atendido lá...


Teve outra cena muito boa hoje que nem deu tempo de fotografar. Este ajudante nosso de camisa verde, vendo uma senhora de cócoras com dificuldade de se levantar, não pensou duas vêzes. Agachou e pegou ela no colo quinem um nenem e depositou na cama na sala do médico...rs

 Dr. Sanjay e o enfermeiro examinando o moço que quebrou a perna há quatro meses atrás e nunca mais andou. Sente muita dor.
E hoje, no meio do povo, que eu precisava ficar pedindo licença pra dar espaço pro médico examinar, descobri que tem um Hospital do Governo em Gaya que atende de graça. Quase cai pra trás de susto, porque o que mais ouço aqui é que não tem atendimento gratuito.
Mas antes que me anime, amanhã cedo vou a Gaya pra visitar o Hospital e ver como funciona. 
Segundo o nosso médico, eles tem ambulancia que pode levar e buscar a pessoa em casa. Precisamos pagar a gasolina e o motorista....rs. Melhor que nada. Eu já tava pensando em colocar o senhor num tuc-tuc, mas logo me lembrei da responsabilidade minha se a situação dele piorasse. Aqui tenho que me policiar o tempo todo pra não fazer nada de impulso.
Se der certo, amanhã mesmo levo ele pro Hospital e vou buscar também aquela senhora do primeiro dia de atendimento. 
Lembra?


 Segundo o nosso médico o osso quebrado já colocou torto. Precisa de fazer uma cirurgia pra ajeitar no lugar certo.
E o Dr. Sanjay também me disse, que se eu conseguir levar este senhor pro Hospital vai ser muito bom, porque as pessoas confiam em mim (que mêda!) e dando certo, elas vão ter confiança quando ele disser que precisa ir pro Hospital,  e então eu vou junto até todos entenderem que precisam e devem usar o serviço de saude do governo.
Mas antes de ficar muito alegrinha vou lá ver o Hospital de Gaya.

E ele deu uns passos...Eu disse pro Dr. Sanjay;
- Ele não é velho, mas tá com aparência de um ancião.
Ele disse:
- Como não consegue andar por conta da dor, ele foi se curvando, mas vai voltar a andar e a trabalhar na roça dele.
Que bom!

E minha luta pra conseguir um carro continua. Neste caso por exemplo, quebrou, a gente leva na hora pro Hospital!

Me ajude com qualquer quantia!

Deposite em minha conta do

HSBC

BANCO 399

AGÊNCIA 1561

CONTA 0831621 sem digito tudo junto

CPF 156643506-44

NÃO PENSE QUE POUCO NÃO AJUDA, AJUDA MUITO!

OBRIGADA

2 comentários:

Anônimo disse...

depois de ver as fotos daquele " hospital ", as imagens do hospital que vcs estão montando me passou um sensação de alívio, vc acredita nisso ?Que bom para estas pessoas poderem ser atendidas com um pouco mais de respeito, carinho e solidariedade.Avante ! Avante ! Que mais e mais pessoas se envolvam nesta empreitada, de longe ou de perto, mas com amor e dignidade. Um beijo, Patyy.

Ieda Dias disse...

Patyy eu pensei o mesmo...e olhe, se tiver alguem com paciencia pra ensinar todos aprendem rapidim. No Hospital e na escola não tem mais lixo fora da lixeira, tô fazendo um combate sério contra piolhos, que todos tinham, no Hospital as coisas já estão ficando mais calmas pq passaram a confiar em nós e na nossa presença semanal...enfim! pra tudo, menos a morte, rsrs...tem um jeito...vamu q vamu
bjos bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...