quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Apresento a você o filho que não tive - TUNICO

Amo o nome Antônio. Acho sonoro, gostoso de falar. E mais que Antônio sou apaixonada pelo apelido Tunico. Com u mesmo. E sempre brinquei que ia adotar um filho e colocar o nome de Tunico.
Mas no vai e vem da minha vida não tive tempo de assumir esse grande compromisso que é ter um filho.
Foi fondo, foi fondo agora passou do tempo.
Mas como sou libriana e segundo os astrólogos, "librianos não precisam de atravessar a rua pra conseguir alguma coisa, porque a coisa pula pro lado que eles estão", não é que meu sonho se realizou aqui na Índia?
A avó dessa broinha mais fofa do mundo me pediu pra dar um nome pra ele. Um nome ocidental. E já respondi chamando ele pelo nome escolhido. 
TUNICO
E como Deus é muito bom pra mim, este embondinho foi com a minha cara. Desde que nos conhecemos viramos amigos. Vou sempre na casa dele e quando venho embora tem que me levar até na rua, quando não abre o bocão querendo vir comigo. 
A mãe não fala uma só palavra de inglês, mas fala Ieda direitinho. Vai me vendo e grita:
Tunico, Ieda, Ieda, e ele vem correndo. Vem correndo e empaca. Criança indiana não se atira nos braços da gente. Temos que ir com muita calma. Adulto é pior. Quando abraço alguem a pessoa só falta morrer. Não sabe o que fazer. Este contato entre adultos não existe.
Na escola já consigo abraçar, apertar bochechas, beliscar, enfim, encher o saco de criança que é o que mais amo fazer.
E o meu Tunico, devagarinho, tá correndo pros meus braços.




Tunico e sua mamãe

A mãe tava fazendo pão e ele vendo se o fogo continuava aceso...rs






Difícil fazer uma foto legal, nítida. Ele não para um minuto!

Na porta pra dar adeus, com a mamãe, vovó e titia
Carinha triste...
Difícil deixar ele pra trás

Quem pode resistir a um olhar assim meu Deus do céu!

Aí eu faço uma palhaçada e ele volta a sorrir.
Muito fofo!

E não é que há mais ou menos um mês atrás essa pestinha caiu de cima da casa de cabeça. Não teve um arranhão, mas o coco fraturou em 3 lugares. Quase matou a gente do coração. Foi uma correria pra levar pro Hospital mais próximo que fica há uns 20km. Foi de moto com o pai e o tio.
Ficou uma semana internado em observação e sendo medicado. Quando fui visitar não sabia o que fazer. Dava vontade de pegar ele no colo, abraçar, fazer carinho, mas não podia tocar na cabeça. Foi muito difícil. Os pais grudados nele dia e noite. O Hospital, melhor nem dizer.
Comprei carrinhos pra ele brincar, helicoptero, moto, um saco de porcaria chinesa que criança adora, mas, o que ele mais gostou e comeu que até fiquei preocupada, foram as bananas. Levei biscoitos, banans e maçãs. Deve ter comido umas quatro.

 O Hospital, particular e caro, consiste em um salão grande, cheio de camas sem nem lençol, um banheiro só com privada sem chuveiro nem nada. Um médico atende todo mundo. Tem uma sala separada, mas só pelas paredes, porque dois funcionários entravam e saiam o tempo todo de lá sem nenhuma roupa ou aparato especial. Uma espécie de CTI, onde ficam bebês em estado mais grave. Realmente, os Deuses aqui trabalham sem parar!

 Tunico devorando bananas...

 O tio conseguiu distrair ele dando moedas. Adora moedas e chocolate


E como a Índia é um planeta à parte, o tio pegou ele no colo, desceu as escadas tranquilamente e foram dar uma voltinha na rua. Ele descalço, rua imunda, enfim...não é à toa que eles tem mais de 20.000 Deuses. Tem serviço demais pra turma toda!
Enquanto isso eu arrumava uma confusão com um funcionário da casa, porque fotografei tudo que pude. Radiografias, receitas, prontuário, tudo, e mandei pra uma amiga que é pediatra no Hospital das Clínicas de São Paulo. Queria saber se podia confiar nos serviços.
Só sei, que felizmente ele tá bem, feliz, brincando e aparentemente sem sequela alguma.
Bendito Anjo da Guarda de criança, e bendito seja um corpo novo pra se recuperar rápido de um tombo tão perigoso!

5 comentários:

Rejane disse...

Tunico é lindo, paxonei!
Ia te desejar um feliz ano novo, mas seu ano começou mais do que feliz, virou mãe, chic demais.
Agora tenho que desejar feliz 2013 pra família 'inteira'.
Parabéns por mais essa conquista!
Bj procê e pro Tuniquinho.
Rejane

Clara Lopez disse...

Lindão mesmo seu filhote, ieda, e pelo visto inquieto igual à 'mãe'! Esse vai dar trabalho, viu, mas tb quem disse que vc gosta de moleza?
Ah, agora entendi melhor os problemas nos pés, parece que tá frio mas os pezinhos firmes no chão! Costume e cultura entranhados mesmo, precisa demais dos deuses todos ::).
beijos, tudo de ótimo sempre,
clara

Ieda Dias disse...

Viu só Rejane? Sou ou não não uma libriana típica? Vai dar sorte assim lá na Índia!
Bjos minha querida e um 2013 cheio de saude e muitos sorrisos pra todos nós...vamu qui vamu, agora com Tunico pra completar a alegria
bjos bjos bjos

Ieda Dias disse...

Bota inquieto nisso, Clara! Vou tentar fazer umas fotos melhores. É phoda! Bom sinal, sinal de que a quebração de cabeça não atrapalhou em nada. Quanto aos pés no chão, é cultural mesmo! Mas, mesmo quem tinha sandalinha não usava. Agora tô em cima. Olho pro pé e se tá sem sandalia já correm pra colocar.
bjso bjos meu bem
E tem mais! Ando com um rolo de papel higienico no bolso, e limpo nariz de minino o dia todo. E explico, se a meleca não sai, a gripe fica pra sempre. Estão adorando respirar melhor1 Coisas tão simples né meu bem!

Anônimo disse...

ô meu bem, é fôfo demais o Tunico ! beijos mar

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...