sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Conseguir um novo voo foi fácil, já, caber na cadeira, foi mais difícil.

Como fiquei em Paris na casa de amigos que moram perto de Orly, comprei meu bilhete pra vir pra NY, saindo de lá.
Tudo bem, vôo diurno - ando preferindo - todo voo é uma canseira mas, pelo menos, você chega na hora de ir pra cama, pra uma verdadeira cama, que é o sonho de todos que não estão na primeira classe.

Os amigos da Regina Casé dizem que ela vai à padaria, embaixo da casa dela, e volta com histórias mirabolantes. Comigo não é muito diferente. Não acho que as histórias não aconteçam com todos, a diferença tá em prestar atenção aos fatos. De repente, uma besteira pra você, pra mim vira uma história -
como o meu voo ontem.

Meu querido amigo insistiu em me levar ao aeroporto e saimos de casa quase cinco da matina - só amigo mesmo pra insistir num programa de índio deste : levantar às 4 e meia da madruga pra levar o outro no aero, mas tudo bem. Meu vôo tava marcado pras 7 horas, saindo de Orly pra Barcelona e de lá pegava o outro pra NYC. Chegamos com o aeroporto ainda criando vida e se espreguiçando. Povo bocejando e abrindo as portas dos cafés, restaurantes, lojas.
Enfim, o aero se preparando prum novo dia..



Fomos pro balcão da Air France, todos muito gentis e a moça com meu eticket e passaporte em mãos, muito gentilmente me comunica que meu vôo foi cancelado. Meu amigo, brincando, ameaçou uma briga, dizendo que não me levava de volta pra casa nem fudendo; tava lá justamente pra ter certeza de que se livrava mesmo do encosto...rs.
E a moça continuou com uma cara de xícara, dizendo:
- Foi cancelado.
E eu continuei com minha cara de cliente dizendo:
- E o kiko? Minha parte foi feita : comprei o bilhete, paguei, tô aqui há tempo e a hora, então não tenho problema algum pra resolver, já vocês...

Numa hora dessa, nem esquento a cabeça. Juro! Tô nem aí! Quem tem que esquentar são eles.
Vai prali, vem pra cá, volta pra lá e, finalmente, fica aqui. Depois de alguns bons minutos, conseguiram me encaixar num voo que saia do Charles de Gaulle, à uma e  meia da tarde. Tudo bem ! Tô de férias e aposentada; e cansada. Qualquer coisa que possa ficar sentada fazendo nada tá me agradando e já fui avisando ao meu amigo.
- Nada de me levar naquele c. de mundo - literalmente cortar Paris de sul a norte. A moça me informou o que eu já sabia : tem um ônibus da Air France que faz este trajeto. Falei pra ela.
- Tudo bem, pode me dar a passagem, que vou pra lá.
- Vou ver se consigo.
E eu brinquei, séria.
- Você vai conseguir. Eu não tenho grana pra ir.
Não só conseguiu, como me deu um outro vale pra tomar meu café da manhã lá.

A gente nestas horas, não pode dar uma de "deixa que eu resolvo"; deixa que eu resolvo, se fui eu a causadora da cagada. Nesse caso, resolvam vocês. Ninguém me mandou imeio avisando do cancelamento.
Ok. Fui pro CDG, tomei meu café e esperei a minha revoada. Contei e postei as fotos ontem.

Caindo já pra dentro do avião.

Sempre gosto de me sentar no corredor. Não gosto de janela, me sinto sem ar, espremida entre meus companheiros de viagem. Como conseguiram meu assento, de última hora, fiquei torcendo pra não ser a "do meio" entre 4 pessoas.
Era um assento de corredor. Chic.

Aí entra outro causu.

Fileira de 3 cadeiras. O moço do meio - um americano ( imagino) - de uns 2 metros ou quase e nem vi o colega do canto, tão espremido que tava. Ele parecia um ogro, um caubói, só que sem chapéu; aqueles matutões imensos. A perna direita dele ocupava, sem exagero, a metade da minha cadeira. Me sentei e quase me deu crise de riso. Fiquei parecendo uma minininha muito comportada com as perninhas juntinhas, completamente espremida. Me levantei e chamei uma colega aeromoço. Impressionante como esta profissão atrai as amigas.
Falei pra ele na maior calma:
- Por favor se, por acaso - o avião tinha gente saindo pelo ladrão - tiver um outro assento, gostaria de trocar. Não tem espaço pra mim e nem pro moço que tá do meu lado. Olhe como ele não pode se mexer; as pernas dele são muito longas.
A amiga, com cara de songa vira e me diz:
- Madame, todos tem direito a viajar, mesmo os de pernas longas.
Demorei uns 3 segundos pra rodar minha baiana, que já começou com umas 4 anáguas engomadas.
Disse pra ele:
- Vou repetir, porque acho que você não entendeu o que eu disse:
- Ele tem as pernas longas, tem direito de viajar, eu também tenho, porque compramos nosso bilhete da mesma forma - só que eu comprei um bilhete pra vir sentada com a bunda toda, não comprei pra meia bunda.
Ele olhou pra mim, com cara de "não acredito o que acabei de ouvir"  e disse que o avião estava lotado.
Eu disse, obrigada e imediatamente chamei uma outra aeromoça.



Vendo esta foto aqui no Google, pensei: eu poderia ter tirado uma foto das pernas do moço. Enviaria pra Air France. Mas, até fazer o joão grandão entender o porquê, acho que as coisas iriam piorar.

Já comecei dizendo:
- Por favor, assim que entrar o último passageiro, olhe se pode me trocar de lugar. Falo por mim e pelo moço que não abriu a boca até agora, talvez pela total falta de conforto e mal estar que deve estar sentindo. Olhe onde está a perna direita dele.
Ela olhou, fez uma cara de "meu Deus!" e disse : "Fique tranquila, que eu volto já".
E voltou daí a uns minutos dizendo:
- Me acompanhe, por favor.
Me deu um outro assento, no corredor e com uma cadeira vaga do lado.
Virei pro moço e falei em inglês.
- Consegui um outro lugar, se você quiser, pode passar pro meu e ficará melhor.
Ele fez uma carinha mais fôfa e disse sem sair som - tipo mímica.
-Tenkiu, tenkiu verimati.
Repetiu duas vezes.
Como eu tinha deixado meu casaco naquele lugar, voltei mais tarde pra pegar e o ogro dormia um sono dos justos; com as pernas esticadas ao longo do corredor.

Me ajeitando pra sair, quando chegamos, não acredita que a amiga veio e me perguntou como se fosse ela que tivesse resolvido o problema:
- Fez uma boa viagem, madame?
- Oui messieur, merci.

Não tava com força pra mais nada... mas que deu vontade de dizer "e não foi graças a sua boa vontade", lá isso deu.

Mas, pra quê?

16 comentários:

Anônimo disse...

Ah vc é aposentada né?
Por isso que vive essa vida boa!!!
Um dia chego lá.

Viviane Santana

Ieda Dias disse...

E vivo com uma estupenda aposentadoria do INSS., mas espero que não chegue lá um dia...rs....pelo menos com a minha grana e sim com pelo menos o triplo...rs
bjins Viviane

Anônimo disse...

IEDA, CONSEGUI HJ POSTAR 1 COMENTARIO.Não sei pq tá dando problema.Leio o blog mas não consigo abrir pra comentar. Mandei email.Quer dizer quetá em NY? Qdo voltará? Adorei ver as latinhas na cs da Michette. Ela ta bem?QUERO
FAZER PARTE DA COSTURA,ADORE!!!!!
Beijos,saudades Ormenia

Ieda Dias disse...

Maria Ormênia quérida...como diz a Ju o pobrema normalmente tá entre a cadeira e o computador. Sempre...hhheeeee....to aqui linda e loira num frio do caralho.Ela tá bem sim, caminhando devagarim e chega aí pra nos visitar dia 3 de abril e fica 1 mes e quero passear muito com ela. Vamos pro sitio....topas?
bjins darling

Beto disse...

Adorei, ainda mais "menininha". Tb só viajo no corredor. Detesto ter que ficar pedindo licença pra passar por cima (lieralmente) das pessoas. Bjim

Anônimo disse...

Não é apenas seu passaporte que é carimbado, vc também eh tarimbadíssimas em situações complicadas e se sai com muita elegância e prontidão das situações mais chatas. Outro mais sem paciência já teria feito muita confusão com resultados piores,
grande abraço, boas nevacas por ny ::))
clara

Anônimo disse...

'tarimbadíssima'; 'nevascas'
clara

Ieda Dias disse...

Pois é Betissimo...até nisso a gente combina...hhheee
bjins e ótima viagem proces

Ieda Dias disse...

Oi Clara, mas as coisas acontecem no seu devido tempo. Já fui muito estopim curto. Os anos servem pra ensinar. Realmente. E como dizia meu pai, ainda vou morrer sem saber nada...rs
bjos,bjos

Ieda Dias disse...

Clara, nem esquente a cabeça em corrigir...aqui tudo pode...rs
bjos

Anônimo disse...

Très complet ton guide touristique, il ne manque que le prix des pipes au bois de Boulogne avec les photos des points de ventes.

Profite-bien de ta nièce, à très bientôt et mille bisous.

Anônimo disse...

Apres toutes ces annees de prof. mon amour,les photos sont seulement pour les clients reguliers....comme toi. Espece de...
bjos bjos bjos

Susi disse...

Ieda, essa foi longa e li em voz alta para o meu marido q tem quase 2 metros de pernas tbem.

Ieda Dias disse...

Susi, sabe que tem lugar pra quem tem pernas longas. Tem que pedir na hora do check in. E tem aquelas poltronas ao lado da porta de emergência. Tem que saber falar ingles e ser rápido pra abrir a porta. Diz pra ele que ele é veloz. Não vai precisar abrir mesmo. Nunca dá tempo......rrsssss
bjos bjos

Susi disse...

Ieda, isso ja acontece,qdo ele viaja pela firma nao tem problema pq eles pagam executiva e é uma beleza, mas è por nossa conta o negocio aperta,mas ele paga 50 euroa a mais e pega 1 poltrona onde cabe a perna. Vc tem razao essa coisa de sentar na porta nao adianta nada, se acha q da tempo de pensar em abrir porta? Eu hein!!
bj

Anônimo disse...

Sabe Susi, se ele fica com as milhas quando viaja a trabalho, vale a pena fazer um up grade com elas quando voces forem viajar por conta propria.Cada dia mais to investindo em mim mesma...aumenta a qualidade da minha vida e me faz mais feliz.
bjos bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...