domingo, 6 de março de 2016

MOTORISTA DE TÁXI E EU - UMA HISTÓRIA DE AMOR


Esqueci de contar esse causu, que como os amigos dizem; só comigo mesma que acontece.
Bão, aconteceu chegando em Paris vindo de Delhi  dia 28 de janeiro.
Pego minha trouxa na esteira, carrinho, e saio linda do aeroporto pra pegar um táxi.
Na rua, vivalma.
Claro que achei estranho. Ninguém na fila de táxi, que normalmente vira a esquina.
Sem ainda me dar conta do que tava acontecendo, parei meu carrinho e esperei. Um minuto após, aparece um policial e me diz; 
- Os motoristas de táxi estão em greve. Tem uma barreira na entrada do aeroporto. Ninguém entra.
Falei pensando alto. Como vou fazer? 
Ela disse na maior tranquilidade. 
- A solução é pegar o RER (trem)
Conheço de cor e salteado o caminho pra pegar o trem. Corredor kilométrico, desce e desce e desce escada rolante, que as vezes não tá funcionando, trem lotado, Gare du Nord impossível de andar mesmo sem bagagem e eu com duas malas enormes, mais uma pequena, uma mochila e o caralho.
Pensei como sempre acontece situações do gênero. 
- Fudida? Ainda não. Calma!
Não me movi do lugar.
Juro, que só a cada 5 minutos passava um carro que tinha deixado passageiro. Táxi. nenhum.
Esperei mais um pouco e fazia sinal pra qualquer caro, ônibus, moto.
Nada.
Não mais que de repente vem vindo um táxi com a placa luminosa que fica em cima do carro coberto com a capinha.
E estacionou bem perto de onde eu estava.
Antes mesmo de acabar de parar o carro corri pra falar com o motorista.
Um negão super simpático.
Eu:
- Pelo amor de Deus me leve pra Paris. Veja minha bagagem. Impossível ir de RER. Vou morrer aqui esperando, até vocês pararem a greve.
Ele me olhou com uma cara linda e disse:
- Não posso. Se meus colegas me pegam to frito. Já deve ter alguém me observando.
Nisso ele já tava em pé fora do carro.
Agarrei no braço dele e disse:
- Somos amigos de longa data e você veio me buscar, como faz toda vez que venho a Paris.
Ele riu e eu completei:
- Melhor, sou sua mulher. Acabamos de nos apaixonar e casar, já com o braço em torno da cintura dele. Agora não tem desculpe. Me ajude com as malas.
Ele começou a rir e fomos colocando as malas no carro.
Aqui em Paris ninguém anda com o motorista na frente. 
Falei pra ele:
Tira essa tralha sua do banco que vou me sentar na frente com você. Afinal, sou sua mulher.
E cada vez descobria mais um dente branco lindo no sorriso dele.
Ah! Ele disse:
- Não posso ligar o taxímetro.
Eu:
- Não tem problema. Sei de cor quanto custa até onde tô indo. Se não tiver trânsito fica em tanto e se tiver em tanto, fora a bagagem.
Mais uma vez ele morreu de rir.
E viemos lindos e negros rindo, conversando, ele me contou da vida dele, eu contei da minha, é viúvo e já fui logo arranjando uma amiga pra apresentar pra ele, e assim que chegar em Paris vou ligar pro dois e marcar um encontro pra gente ver se rompe. Ela também é viúva.
Eles que são criolos, que se entendam...hhheee...
Ainda no caminho, liguei do telefone dele pro meu amigo que me esperava em casa, dizendo que estava chegando que a greve não tinha funcionado comigo.
Quando chegamos ele já tava me esperava na porta e apresentei:
Este é meu marido. Acabamos de nos conhecer no aeroporto, paixão à primeira vista, e já vamos nos divorciar, porque o contrato era de uma corrida...rs...
E eu amigo seríssimo, com um sorriso enorme se apresentou e ainda fez mais. Disse que ele havia ganho na loteria...rsrs...
Mais risos, abraços de agradecimento e nos despedimos.E eu já com o telefone dele.
Até daqui a pouco meu novo amigo!
E quem sabe, futuro marido de uma querida amiga.
Afinal, já provoquei dois encontros que deram em casamento.
E quem quiser que conte outra.

Ps.:  porque o meu amigo veio ao aeroporto mesmo sabendo da greve, e qual era a causa da mesma (uber), isso é assunto pra outro post.


A minha querida

#PREMAMETTASCHOLL

continua esperando sua ajuda.

O nosso aperto continua. Demos uma respirada, mas ainda não tô dormindo em paz.

Se você puder nos ajudar com qualquer quantia, mesmo que você ache que é irrisória, pra nós vai ser de grande valia.

Muito obrigada, obrigada de todo coração a quem tem nos ajudado.
Muito, muito, muito mesmo!
Deus lhes pague!!!

#PREMAMETTASCHOLL

NOSSAS CONTAS 

     PAYPAL   

   ou

IEDA MARIA RIBEIRO DIAS
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
BANCO 104
CONTA POUPANÇA 013
AGENCIA 2381
CONTA 000186058
CPF 156643506 44
(em qualquer casa lotérica )

OU

IEDA MARIA RIBEIRO DIAS
BANCO DO BRASIL
BANCO 001
CONTA POUPANÇA 15405-9
AGENCIA 4352-4
VARIAÇÃO NÚMERO 51
CPF 156643506 44
ou nas agências dos correios

9 comentários:

  1. rssssssss..So tu mesmo!ADOREI,claro! Muito bom e legal isso! Imagino a cena!" Valeu! bjs, chica e criatividade não te falta!

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua história, e realmente só mesmo com essa criatividade para sair de uma situação difícil.... bjos

    ResponderExcluir
  3. Chica querida, pra driblar essa vida precisamos de muito jogo de cintura, ne nao?
    Bjos minha querida

    ResponderExcluir
  4. Aprendendo com a vida...rsrs...bjins

    ResponderExcluir
  5. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    SÓ ACONTECE COM VOCÊ....KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    VOU CONTAR PRO THEO E ELE VAI MORRER DE RIR...

    ResponderExcluir
  6. Geltha periga dele dizer que inventei...hhheeeeee

    bjos e se vc quiser as boinas mande a grana...não tenho dinheiro

    ResponderExcluir
  7. Oi, mandei um parabens pra vc e nada. Cadê tu? Volta qdo? Bj MH

    ResponderExcluir
  8. Meu bem eu respondi tudo aqui...chego sexta feira da paixão. Vc vai viajar?
    bjos bjos

    ResponderExcluir
  9. Realmente não li. Até dos babys?
    Bo, , viajo 15, volto 31, como sempre perdendo a chegada triunfal. Estou precissando mais d que nunca. VC e Michette estão bem? Imagino as belezuras que fizeram. Vem mta bagagem? E os filhos de lá? A princesa? AH, tô mto dispersiva, não repere.DEtalhes aqui, se quizer rssrsrs.
    BJ saudades MH

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.