segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Vai pra Londres? Olhe que passeio legal!

Foi reaberta ao público, uma das primeiras estações de metrô de Londres que serviram de abrigo antiaéreo para a população britânica durante os bombardeios alemães da Segunda Guerra Mundial. O evento faz parte das comemorações dos 70 anos da resistência britânica à ofensiva alemã.
Na estação de metrô de Aldwych, fechada desde 1994, atores profissionais estão vestidos com trajes da época, lembrando os anos de 1940 e 1941. O objetivo é recriar o ambiente vivido por milhares de britânicos que se refugiaram das "Blitz", os bombardeios alemães, durante a Segunda Guerra Mundial.
Na noite do dia 6 de setembro de 1940, a Luftwaffe lançou as primeiras bombas sobre a capital britânica. Foram 57 dias consecutivos de bombardeios, durante o dia e a noite. Na época, as estações de metro foram transformadas em abrigos antiaéreos.
Os bombardeios alemães atingiram também, entre outras, as cidades de Coventry, Birmingham, Southampton, Liverpool, Bristol, Manchester, Sheffield, Porthsmouth, escolhidas por terem importância industrial.
No total, cerca de 1000 aviões da força aérea nazista atravessaram o mar do Norte para bombardear a capital inglesa, sem fazer distinção entre alvos civis e militares.
Se em terra a população se refugiava nas estações de metrô, no céu a Royal Air Force, a Força Aérea Real, defendia os britânicos, enfrentando os aviões alemães. Daí a famosa frase do então primeiro-ministro Winston Churchill, que disse: "Nunca tantos deveram tanto a tão poucos".
Apesar do forte bombardeio, a família real nunca deixou Londres. Em 1941, a rainha Elisabeth, mãe da atual rainha Elizabeth II, declarou: "As crianças não podem ir embora, se eu não for com elas. Eu não posso ir, se o rei não for. E o rei não abandonará o país, aconteça o que acontecer".


Os guias usarão trajes de época para contar a história das pessoas que se refugiavam dos bombardeios nas estações de metrô londrinas

A estação Aldwych de metrô em Londres foi reformada para receber tour que relembra os 70 anos do bombardeio alemão na Segunda Guerra Mundial (1939-1945)


O ator vestido com trajes de época guiam os visitantes pela estação


Os guias caracterizados “dormem” na estação, fato que era comum, pois era preciso esperar o ataque passar para voltar para casa


A estação foi reformada para recriar o clima da época


A estação estava fechada desde 1994 e foi reaberta no dia 24 de setembro

A estação e os vagões do metrô foram restaurados fielmente para reproduzir o período de guerra

João Alencar, colaboração para a RFI.
Exposição/Londres - 
Artigo publicado em 24 de Setembro de 2010
Tá pensando em viajar? Faça uma comparação de preços de passagens e hotéis e veja dicas das cidades. Clique aqui e comprove ( e eu ainda ganho um troco...rs )

4 comentários:

Brenda Tavares disse...

Interessante esse passeio.
Aqui na Italia pude ver a Napoli subterranea que tb servia de refugio antiaereo. Uma cidade debaixo da outra, muito comovente pensar que pessoas praticamente viviam la embaixo, casamentos eram realizados tb.
A historia sendo revista, isso eu gosto!

Ieda Dias disse...

Eu ainda quero conhecer Nápoles...tem uma escultura que vi em foto e quero ver ao vivo. É muito bom mesmo Clara, não deixar a história se apagar da memória das pessoas.
bjins

Anônimo disse...

PARABÉNS LONDRES!!! PARABÉNS INGLATERRA!!! GOD SAVE THE QUEEM!!!
O único povo da Europa que não se rendeu à monstruosidade da Alemanha Nazista. A França rendeu-se às botas germânicas e foi conivente no Holocausto.

CONGRATULACIONS LONDON!!! CONGRATULACIONS ENGLAND!!! GOD SAVE MISTER CHURCHILL!!!
Luiz César

Ieda Dias disse...

Santantonho!!!!Que animaçã é essa darling!!! Gostei...hhheeeee
bjos, bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...