sexta-feira, 11 de maio de 2012

O começo das chuvas do verão

Toda vez que vejo árvore tombada, me espanta o quanto à flor da terra suas raízes se encontravam. Penso que uma árvore como esta teria metros de raízes grudadas nas profundezas da terra. Qual o que! São frágeis. 
Esta árvore caiu esta noite com o temporal que começou assim que anoiteceu e durou bastante tempo. Daquelas chuvas que vem com tudo depois de um dia de calor intenso, e dana a cair pedra, pedra, ventania, relâmpago e tudo que tem direito.
Só hoje pela manhã vi o estrago. E o melhor de tudo, foi o segurança do Hotel me contando em hindiano, explicação clara como água, como tudo aconteceu. Contou detalhes das pedras, do susto que levou  quando a árvore caiu, dos estrago nas plantações, e se bem compreendi, até tuc-tuc virou com o vento. Ele se entusiasmava me contando e cada vez mais prolongava a história, quando percebia que eu entendia tudo...
A linguagem do olhar, dos gestos, a entonação, faz a gente entender qualquer idioma. Não esquecendo da boa vontade, porque sem ela não entendemos nem o nosso próprio.







O peça rara do indiano segurança do Hotel

Nenhum comentário:

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...