sábado, 8 de dezembro de 2012

Balanço do primeiro mes do nosso Premametta Charitable Hospital


E volto a repetir as sábias palavras do meu pai:
- A gente passa a vida toda aprendendo, e morre sem saber nada!
Como aprendemos neste primeiro mês de aventura, que está sendo abrir um Hospital (pra mim, Ambulatório) aqui na Índia! Sem capital inicial, nem paralamas, nem ultraje a rigor....rs
Só com a cara, a coragem e muita vontade de ajudar.
Mas até ajudar não é fácil! Não é mesmo!
Neste primeiro mês gastamos muito mais do que podíamos imaginar e podíamos gastar com compra de remédios, atendemos 603 pessoas em 12 dias de atendimento, com 4 horas de trabalho a cada dia, 2 pessoas morreram e não pudemos fazer nada, ou quase nada, porque nossos recursos são pouquíssimos. Estas pessoas precisavam de um Hospital Público decente e gratuito. Não existe aqui num raio de tantos kilometros quanto andei.
Descobrimos, que pra algumas pessoas vir ao nosso hospital virou "um programa". 
Descobrimos que pessoas que podem pagar um Hospital particular começaram a se aproveitar da gente pra conseguir médico e remédios gratuitos. Aprendemos que não podemos fazer nada de "graça". Totalmente de graça. As pessoas só valorizam quando dói no bolso de cada uma.
Descobri o quanto as mulheres aqui são preocupadas com suas crias. O quanto elas lutam pra que seus pequenos fiquem bem, vi a enorme paciência indiana para com as crianças, o respeito com os mais velhos.
E também estou descobrindo a total ignorância a respeito do mínimo cuidado com higiene e prevenção, que poderiam juntos, evitar tantos problemas que eles tem. 
Descobrimos, que a participação da comunidade é tão importante quanto o trabalho que estamos fazendo.
A partir de hoje vai estar pregado na parede e escrito em grande letra o seguinte cartaz:

- Para que possamos te ajudar, precisamos muito da sua ajuda!

Descobri que não existe palavra, discurso, explicação alguma, que faça este povo entender que não sou uma pessoa rica. Pra eles eu tenho muito dinheiro e muitos tentaram se dar bem com isso, mal sabendo que vim de um país onde este golpe é mais velho que cagar de cócoras (mais uma vez, citando meu pai! )
Coitados!
Quando vem com o milho eu já tô com o fubá prontinho pra fazer meu angu. Hoje tá sendo inevitável escrever sem os provérbios...rs
Mas eu consigo muito bem entender.  Pra quem não tem nada, eu realmente tenho muito. Só preciso descobrir uma fórmula de explicar, que se o pouco que consegui na minha vida for doado pra eles, daqui a pouco vou pular pro lado deles. Serei mais uma pra pedir.
Esta semana tivemos reuniões pra discutir sobre vários assuntos e até cogitamos de fechar o Hospital por uns meses e reabrir depois de captar algum dinheiro. Mas eu lutei muito, com todos os argumentos possíveis, pra que isso não acontecesse, porque pra mim, é preferível diminuir o numero de atendimentos, do que não atender ninguém. E as pessoas já estão tão confiantes com uma pequena luz de  lamparina no final do túnel, que não tenho coragem de apagar ela agora.
Vamos tentar mais, fazer mais pesquisa, descobrir onde podemos cortar gastos ( como se tivesse algum pra ser cortado!) mas sempre podemos "tirar daqui pra colocar alí".
E continuar a pedir. Eu sei, que quando alguem lê um anúncio de pedido de ajuda, pode até querer ajudar, pensar seriamente em fazer alguma coisa, mas basta mudar de link, ou de página, ou atender um telefone, pra que aquele pensamento suma da sua cabeça. As informações são tantas, que a seleção natural do nosso cérebro nesse caso "me prejudica"!...rsss.
Por favor, leia e faça.
Nos ajude depositando em minha conta do 
HSBC
BANCO 399
AGENCIA 1561
CONTA 0831621 sem dígito tudo junto
CPF 156643506-44
OU PELO PAYPAL
IMEIO
eidiabh@gmail.com
Muito obrigada 
Este é um pequeno resumo do que tá acontecendo e prometo, que neste final de semana vou tirar um tempo pra postar mais e informar mais aos meus queridos amigos que estão comigo garrados nessa batalha.












8 comentários:

Regina Rozenbaum disse...

É mesmo inacreditável como a essência humana é igualinha em qq lugar desse mundão de D'us! Lembrei de Frei Cláudio e nosso ambulatório de psicologia na igreja do Carmo. Nós, recém-formados e cheios de amor e boa intenção pra dar, prontinhos pra atendimento gratuito e ele dizendo NÃO! Há que se cobrar...de acordo com o salário do sujeito. Ganha por dia? Quanto? Não importava... tempos de cruzados, sei lá qual moeda, mas o sujeito tinha que pagar! Um, dois, cinco reais de hj. Mas era significativo e o tratamento era levado a sério!E pode crer que eles tem!!! Quanto a acharem que vc é rica, já vi esse filme rsrsrs É que quando DOAMOS disponibilidade, tempo etc e tal é um buraco sem fundo...nem passa pela cabecinha deles que tb temos nosssas necessidades básicas, nem passa. Querem mais, mais e mais...e espertinhos tem em todo lugar, né Ieda?! Ah, hj li uma reportagem bacanérrima sobre o Hadassa (Israel e mundo)e sua fundadora...lia e me lembrava de vc...lia e me lembrava...Vou ver se consigo o link da matéria na net e te mando por imeio. Não é à toa mesmo que vc tem um amor tb por aquela terra e povo.
Beijuuss e LUZ procê aí

Anônimo disse...

ô meu bem, você tá cada vez melhor "no escrever" Beleza de post ! Eu aqui na minha peleja de aula de inglês na Bahia, já tinha chegado a essa conclusão de que tem que pagar alguma coisa pra dar valor. Antes me dei muito mal "dando" o material escolar, não tinham cuidado, largavam o curso e não devolviam... agora cobro. R$ 5,00, 2,00 mas cobro. Força aí amiga ! Também acho melhor atender menos do que ninguém. Mulher corajosa ! beijos com carinho, mar

Ieda Dias disse...

Mar darling, comentei com a Eliana sobre sua pinião e ela disse: melhor averiguar ao q ela se referiu...rsss...como ela sabe q vc é super exigente com o portugues, disse, que vc poderia estar simplesmente dizendo q consegui escrever um texto sem cometer grandes erros...pra que inimigos!!!!!
bjos bjos

Ieda Dias disse...

Regis quérida tô muito feliz em te ver arribando, saracoteando com dona Júnia em festa de amigo q esqueci o nome, me escrevendo, daando ideias, força...tá voltando a Regina que daqui a pouco vai tá dando canseira na gente.
bjos bjos pelas palavras e mande sim por favor o link...amo Israel, paixão de doer e quero ver.
bjins darling

Júnia disse...

Oi Iêda,
A vida de doação é mesmo trabalhosa.....mas este seu amor não tem preço.
Respire fundo,peça ajuda aos seres " iluminados " e faça o que seu coração diz.Estamos distantes e pertos ao mesmo tempo. Consegui doações e agradeci pois eram roupas e brinquedos . Como enviá-las??? complicado. A caminhada continua... bjos

Ieda Dias disse...

Junia, é muito dificil pra quem não vê o problema de perto, achar que doar 10 reais vá ajudar...e doar também, não é pra qualquer pessoa...cada dia tenho mais convicção disso. Doar é pra poucos...bjos bjos e muito obrigada pela força

Elisa disse...

Concordo com você que doar é para poucos. Aliás, muito poucos.
Agora, concordo totalmente com Regina Rozembaum e Frei Cláudio. Tem que cobrar , sim. Nem que seja um tiquinho.
O valor que se dá e o comprometimento com a coisa muda.
Beijos.

Ieda Dias disse...

Começamos a cobrar, Isa.E além de cobrar agora que está mais organizado, as pessoas já não estão desesperadas com mede de não serem atendidas, que a confiança se instalou, que eles sabem q viremos todas as semanas, está sobrando um tempo pra conversar com todos. Começo de concientização...anos 40 no Brasil Pena que não vou estar aqui daqui a 50 anos pra ver o que deu...rsss...bjos bjos

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...