quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Circulando. Circulando pela espiral que é Paris.

Se você pegar um mapa de Paris, pode ser até o mapa do metrô, vai ver uma espiral. Pra entender como são dividos os bairros e porque o bairro 3 fica ao lado do bairro 11 ou porque o 10 é ao lado do 19, é muito simples.
Ache o bairro 1, bem no meio, pois foi onde a cidade começou. E como toda cidade, à medida que foi crescendo, as casas, o comércio, tudo foi girando em torno daquele miolo.

Girando, girando, surgiu o bairro 2 e foram numerando sempre em círculos no movimento horário, até chegar ao bairro 20. Aí pararam. Por que? Não tenho a menor idéia. Vou procurar saber.

Só sei que, a partir deste delineamento, tudo que ficou fora destes 20 bairros, tá fora de Paris. É o subúrbio parisiense.

Francês ama falar que mora fora de Paris. É chic! Paris é muito poluída, barulhenta, eles dizem. Deixe eles virem aqui...

Pra fazer o povo circular, eles possuem 14 linhas de metrô, que transportam uma média de 5 milhões de pessoas por dia. São quase 200 quilômetros de trilhos dentro de Paris, 350 estações e uma média de 1.000 vagões, nas horas de maior movimento.

Um dia estava indo pro trabalho e, quando cheguei na minha estação, ela tava com um movimento fora do normal porque, depois de um tempo, você passa a conhecer tudo. Até pelo barulho do trem você sabe se ele tá chegando ou saindo da estação.

Tinha mais povo que de costume. Caras que eu não conhecia. As pessoas passam a ser quase sempre as mesmas, pegando sempre os mesmos vagões. Explico porquê: cada um vai no vagão que pára mais próximo da saída que lhe convém.
Muito macete que a gente pega com o tempo.

O trem demorou, demorou e, depois de um bom tempo, começou a circular normalmente e, aos poucos, a estação voltou ao normal.
Num caso desses, a gente já sabe: ou alguém pulou na frente de algum ( não é anormal não, meu senhor) ou alguém resolveu nascer ou era uma greve. O que também é normal. Neste dia era um bebê que resolveu nascer, bem na hora deu pegar no batente.

Quando foi à noitinha, tô eu voltando pra casa e já tinham vários funcionários do metrô distribuindo panfletos, com a explicação do porquê do atraso pela manhã.
As linhas competem entre elas em tudo. Melhor serviço, limpeza, pontualidade, tudo.
Eu ri lendo o papel, porque lá não tem essa da gente inventar que o pneu do ônibus furou, o motorista brigou com o passageiro e foram todos pra delegacia, o ônibus bateu numa moto e aí atrasou tudo, então resolvi voltar pra casa.

Lá é preto no branco. O metrô atrasou? Tudo bem, amanhã você trás o comprovante.
Da mesma forma é quando você tá viajando de trem pelo país. Se, por um acaso, houver um atraso acima de X minutos (tem as regras), quando o trem chega ao destino, você vai ver todo mundo indo em direção ao guichê de vendas de bilhetes, cada um com o seu em mãos, pra ser carimbado e ser restituído do valor da passagem (também com suas regras, valor integral ou proporcional).
Não dê bobeira. Espero que seu trem não atrase mas, se acontecer, corre lá e peça seu reembolso.
O povo paga um imposto muito alto, mas sabe dos seus direitos, luta por eles e vê pra onde tá indo a grana.

3 comentários:

  1. Que bacana!!! Adorei as informações!! Obrigada Tita!

    ResponderExcluir
  2. Por nada meu bem. Que bom q vc gostou.
    bjins

    ResponderExcluir
  3. Me ajudou muito no meu trabalho,você é uma fofa!Deve ser ótimo andar por tantos lugares e ainda saber falar (nem que seja pouco) o idioma de tantos lugares!Adorei o blog!
    http://garotateenoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.