segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Horta da Luzia - Causus daqui e d'acolá




Sabe aquelas tias que moram ainda na casa grande da fazenda, que viveram toda a sua vida ali com suas tralhas, seus móveis, seus guardados, seus doces....
Pois é. Uma amiga tem ainda uma tia assim e adora ir visitá-la.
Daquelas que diz: 
- Você veio sem avisar, não tenho nada de bom pra te oferecer enquanto vai  abrindo o armário e vai tirando doce de leite, doce de cidra, laranja, mamão ralado, queijo fresco, e se desculpando porque tem pouco sortimento. Tá na hora de fazer doce, semana que vem vou pro fogão.
A tia só tem um "defeito". 
Pra ela gente gorda é que é bonita. Mulher gorda, forte, sacudida. Uma belezura!
Não adianta dizer que hoje isso não é mais um elogio, aliás é motivo pra desavença..
Até que da última vez que minha amiga foi visitá-la, a tia se lembrou do conselho da sobrinha, quis ser gentil, e assim que a viu, magrinha, ( linda pros padrões de hoje ) se assustou, já ia abrir a boca pra fazer sua observação, fechou a boca, abriu de novo e disse:
- Você tá bem, emagreceu, ficou bom. 
Mas não satisfeita acrescentou:
- Tá com depressão?

A mesma tia, tem em seu ainda fogão a lenha, as mesmas panelas e caldeirões de sempre.
Minha amiga puxando prosa disse:
- Ei tia, esse caldeirão tem é ano que tá  cozinhando feijão nesse fogo, hein?
No que ela trucou na hora.
- Se tem! Já gastou duas tampas!

Num restaurante em Varanasi, na Índia, calorão danado, perguntei  pro garçon se tinha sorvete. Tinha. Ebaaaa!
Olhei o cardápio e pedi:
Quero de pistache, que amo, e de coco.
- Pois não.
O garçom anotou e sumiu.
Voltou  daí a pouco com duas taças enormes, cada uma lotada até na tampa. Uma com sorvete de pistache, outra com sorvete de côco.
Delícia! Comi  tudo.

Na Índia ainda, não me lembro qual cidade.
Pedi de sobremesa um doce típico do país. Queria experimentar.
O garçom voltou com uma taça cheia de  salada de frutas.
Perguntei:
- Mas isso não é o que pedi. Isso é salada de frutas.
Ele:
Não trouxe a outra porque você não ia gostar. Muito apimentada.
Então tá.

Num restaurante no Hotel de Varanasi. O serviço muito ruim, só desgosto. Perdi a paciência e chamei o garçom.
Por favor, você tem um gerente? 
- Sim.
Quero falar com ele por favor.
- Ele tá muito ocupado.
Então tá!

4 comentários:

  1. Iêda,

    Pro favor entre em contato com a editora Saraiva.

    e-mail: crvieira@editorasaraiva.com.br

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.