domingo, 19 de setembro de 2010

O paraiso mora ao lado e você nem sabia!

Sobrinha querida foi passar alguns dias neste paraiso com marido, e voltou contando das maravilhas. Então pedi pra ela dar uma resumida pra passar pra você. Veja se não dá vontade de sair correndo pra lá agorinha mesmo!







Agora vamos à nossa experiência: ficamos lá de terça a sábado (4 diárias), entre os dias 03 e 07 de agosto. Além do conforto de um ótimo hotel e da comodidade de já sair de casa sabendo quanto vai gastar, mesmo se você comer e beber simplesmente tudo que é oferecido no hotel, acho que o grande patrimônio que o Villa Galé Eco Resort de Angra tem são os monitores (*ou seja lá o nome que eles se dêem). Essas criaturas são jovens felizes, que não perdem uma piada. Não tem chuva que resista às suas cabeças borbulhantes cheias de ideias para que a diversão não pare. Seja pra bater um papo legal, seja pra te deixar quieto, eles são atentos a te perceber e oferecer opções sem invadir o espaço dos hóspedes. E estar neste resort no início de agosto é ter cerca de 70 funcionários trabalhando pra 21 hóspedes. Isso é de uma mordomia ímpar. Se por um lado não tem tudo funcionando a mil, como acontece em pleno verão, por outro lado você tem um personal monitor pra te acompanhar no que você quiser fazer, seja jogar ping pong a tarde toda, seja jogar conversa fora.




Logo na nossa primeira manhã no hotel topamos uma caminhada com um maluco de um monitor chamado Gedai. Sério, este é seu NOME (vide RG). Homenagem ao Jedi do Star Wars, que o pai dele amava. O malucão levou uma banana na nossa caminhada. Andamos numa trilha largona, fácil pra qualquer sedentário ou preguiçoso (como eu), e fomos parar numa prainha linda de água cristalina, cheia de rochas e colada na floresta (coisas do RJ). Aí ele começou a fazer barulhos estranhos e os micos surgiram. Vários. Lindos! E ele teve a ideia de levantar a  banana pros bichinhos. Desceram aos montes e comeram na nossa mão. Está aí a foto, que não me deixa mentir. E pela expressão de idiota do Gedai na foto em que ele aparece era mesmo, como ele disse, a primeira vez em que aquilo acontecia (ele dar banana pros bichos). Voltamos no hotel, pegamos mais bananas e voltamos nos miquinhos. Super legal.

Além disso o hotel tem uma piscina mega monster com raia olímpica (50m). Massa! Nadamos só todos os dias, na chuva, no frio, nada importava. E a praia logo na frente? Era um mergulho no mar transparente lindíssimo, duchinha, e piscina. Uma vida ruim do caramba. E o bar Molhado, dentro da piscina, é mais uma mordomia. Pedia um Kir Royal e o tomava dentro dágua. Na piscina tem mais dois destaques: o cartão toalha, que você recebe na entrada do hotel, e as bolas, pranchas, espaguetes, etc, para brincar na água. O cartão toalha era algo que você portava e trocava pela toalha num ponto ao lado da piscina. Você troca a toalha quantas vezes quiser por outra seca. E por fim devolve a toalha e retoma o cartão. Super mordomia. Tem salva-vidas o tempo todo de olho na piscina. Era quase segurança particular, visto que na maior parte do tempo nadamos, eu e Bê, sozinhos. Pois lá, mesmo estando quente, venta. E os nossos 19 colegas parecem ter medo de vento.

Nossa rotina foi mais ou menos a seguinte: acordar de manhã e tomar café, que segue até 10h30 em dias de semana e até 11h00 aos finais de semana. O café tinha de um tudo: pães, broas, bolos, frutas, sucos, frios, iogurtes, cereais, croissants, pães de queijo, waffles, etc, etc, além de estação de tapiocas (doces e salgadas), ovos e omeletes. Aí íamos fazer algo pra esquentar pra irmos pra piscina. De caminhada na pista de cooper interna do hotel à caminhada ecológica com os monitores (dentro ou fora do hotel). Aí caíamos n`água. Se sentíssemos fome, a partir de 11h00 eram servidos na Casa da Fazenda petiscos (salgadinhos, batatas fritas, cachorros-quentes, espetinhos, etc), além de bebidas, disponíveis em tudo quanto era lugar o tempo todo. Nadávamos até enrugar e umas 14h00 horas saíamos da água pra irmos almoçar (o almoço convencional era de 12h30 até 15h30). Era um buffet digno de self service chique. Tinha coisa demais, cada dia com um tema e algo típico (mexicano, feijoada, massas, etc). Além do básico: carne de boi, frango, peixe e porco, acompanhamentos, arroz, feijão, saladas variadas, etc. O buffet de doces devia ter umas 30 opções de mousses, tortas, pavês, frapês, manajares, bolos, doces de frutas, um sonho (me apaixonei por um doce de mamão e por um manjar de chocolate). Além de frutas e saladas de frutas. E complementos "light" como chantilli. Depois desta orgia, às 15h00 já tinha início uma tal estação do sanduíche na Casa da Fazenda. De sanduíches naturais a bacon cheeseburguers, era servido de tudo. E isso seguia até 18h00. Em detrimento disso, às 16h30 era iniciado um café colonial no hotel que seguia até 18h30, com chás, cafés, bolos, pães, geléias, etc, pra dar uma forradinha antes do jantar. Às 19h00 tinha início o jantar, que tem serviço self-service e a la carte, com o mesmo nível de variedades do almoço no self-service, além de 3 cardápios de a la carte. Nós pulávamos essa comilança da tarde porque não dava nem tempo de fazer digestão pro jantar depois do almoço, muito menos pra comer algo antes dele. À tarde jogávamos tênis (eles têm quadras e emprestam as raquetes e bolinhas), nadávamos mais, jogávamos vôlei de praia com os monitores e colegas hospedados, e tudo mais que pudesse gastar energia antes da próxima refeição. O jantar seguia até 22h30. A gente às vezes ia pro bar do hotel, o Euphoria, pra tomar drinks antes do jantar. Tinha música ao vivo a partir de quinta com show muito legal. Este bar fica aberto até 01h00, se não me engano. Embriagados, jantávamos e de lá íamos pra boite, que funcionava até 05h00. Como a coisa estava muito familiar no hotel, frequentávamos quase todos os 21 hóspedes a boite, incluindo crianças e bebês. Começava com videokê às 22h00 e a boite comia mais tarde. Muito muito legal.

Todo dia tinham pelo menos 2 enigmas. Tipo: quantos litros de água tem a piscina do hotel? De quais países são estas 12 bandeiras? Quem acertasse ou chegasse mais próximo ganhava um brinde. Ganhamos 4 CD´s de bandas desconhecidas...rs!

Além disso os monitores faziam performances. Tipo: o maluco coloca um pijama, pega um urso, um colchão, travesseiro, leva tudo pro restaurante, coloca uma placa "SILÊNCIO, MONITOR TRABALHANDO!" e dorme. Dorme de roncar e sonhar mesmo, no meio do salão. Ou um coloca um óculos e se faz de cego empurrando um outro todo enfaixado e "ensaguentado" na cadeira de rodas pelo hotel. A criançada fica louca, avisando que vai bater. E o cego batendo o enfaixado, que grita, dá escândalo, uma peça rara. Os caras são verdadeiros atores.

No almoço de sábado, cuja parte temática era uma feijoada, tinham várias batidas e um grupo de 4 senhores tocando chorinho que eram um primor. Os caras eram demais.

E foi essa vida ruim neste clima infeliz que nós levamos, com muito sacrifício, por 4 dias em Angra, aquele paraíso da natureza. As fotos seguem em anexo. Foi muito muito legal. Custou R$ 1.052,00 por pessoa. E eu achei que foi bem pago pacas. A única despesa que se tem obrigatoriamente no hotel é R$ 2,60 de taxa de turismo por apartamento, por dia. Gastamos, portanto, eu e Bê, mais R$ 10,40 de taxa de turismo. E mais nada. Comemos e bebemos bem demais, além de termos sido muito bem assessorados, termos assistidos shows de excelente categoria, termos tido lazer e a companhia dos monitores. Muito bom.

Coleguinhas que conhecemos e que já foram em similares do nordeste dizem que aqueles de Angra é até simples perto dos lá de cima. Chegaremos lá ainda... rs! Mas eu, que não conheço nenhum do nordeste, achei muito muito bom, uma mordomia do caramba.

Ah, esqueci de contar duas coisas: 1 - tem uma academia mega super moderna. 2 - quem leva filho tira férias do embondo. Você os entrega pro monitor às 08h00, tem uma breve devolução de 18h00 às 19h00 (hora do banho), volta pro monitor de novo que fica com eles até 22h00. Tem o cantinho das crianças onde rolam brincadeiras divididas por faixa etária o dia todo. De jogos de tabuleiro, vídeo-games, ping-pong, a escaladas, esportes, caça ao tesouro, etc. Os monitores dão comida (a alimentação das crianças é toda diferente, horários especiais, bem saudável, mas tem as horas de porcarias), fazem tudo. Enfim, mordomia total para todos.
Este é o lema.


http://www.vilagale.com.br/


Obs. da blogueira: tenho que tomar cuidado com esta sobrinha, porque ele escreve que é uma delícia. Posso dançar feio...rs.

4 comentários:

Maga. disse...

Meus Deus, que vidão!
E como come este povo, né Iêda?
Vc parece q tá advinhando mesmo a vontade da gente,Parati está nos planos p o proximo feriado.Bem pertinho deste paraiso.
Já dei olhada num post antigo, dica de pousada.
Agora, esse aí é de babar mesmo.
Bom fds

Brenda Tavares disse...

Realmente, o resumo da sobrinha...
Já estive nesse hotel também com marido, e é uma delícia! Angra já é maravilhosa né, com um hotel desse aí "minha fia eu num ia mais imbora"!
Tinha um doce de leite nele que eu me acabava, ai ai!

Ieda Dias disse...

Sabe Maga, a sobrinha disse que a comilança não pesa na consciência, porque a andação é grande. Sem stres o povo não pára. Muita atividade legal pra se fazer.
bjos

Ieda Dias disse...

Mesmo Brenda? Bão dimais da conta, né sô!.....hhheee
bjins

VEJA TAMBÉM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...