sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tailandia - Parte 02

Marlize, Utong eu e Carmen. Conhecemos o Utong em um campus universitário há umas duas horas de Bangkok. Entramos no banheiro falando alto como boas brasileiras. Quando saimos, tava lá ele falando quiném um maluco: farinha, arroz, feijão, com um sotaque fortíssimo que a gente quase não entendia.
Foi preciso um tempinho prá compreender que ele estava tentando falar portugues. Ficou tão emocionado de ver brasileiras naquele final de mundo, que até gaguejava. Uma graçinha de pessoa. Já tinha voltado prá Tailandia há anos e nunca mais havia falado portugues. Incrível como em pouco tempo tudo foi voltando, ele se lembrando da língua, e ainda mais com a gente cravando o pobre de perguntas. Contou de sua experiência em terra tão distante e diferente. Ama o Brasil.
Depois que se acalmou disse que havia estudado em Viçosa-MG na escola de Agronomia , e atualmente era professor ou reitor. Não entendi bem.

Foi muito bom esse encontro. São causos assim que me faz querer cada vez mais e mais ir e ir.

Ainda guardo esse chapéu comprado no Mercado Flutuante.

Marlize e Carmen, companheiras de viagem.


Passeio de barco perto do Mercado Flutuante.



4 comentários:

  1. Que mundo doido e pequeno. Se bobear, conheço alguém da Universidade de Viçosa que conhece esse Utong. Vou perguntar.

    ResponderExcluir
  2. Pergunte mesmo e me diga meu bem.
    bjins

    ResponderExcluir
  3. Pergunte mesmo, Tututinha. Utong, certamente, só terá um.

    Tia: tenho CERTEZA que é mole do seu blog virar livro. Ele é delicioso, viciante, uma loucura.

    ResponderExcluir
  4. Bjos bjos e brigadinha darling quérida!

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.