quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Dicas pra se esbaldar no Rio de Janeiro















Todo mundo pensa que, no carnaval, o Rio de Janeiro fica intransitável, só dá folião pra todo lado, quem não gosta da folia, tá ferrado.

Certo?

Errado.

O Rio é um dos lugares mais tranquilos e mais deliciosos pra passear nos dias de carnaval. A não ser uns poucos blocos, o pega-fogo é na Marques de Sapucaí, que, por sinal, é uma maravilha. Uma das maiores emoções da minha vida, foi ver a entrada da Estação Primeira e Única da Mangueira.

A gente ri, chora, arrepia, aplaude, tudo ao mesmo tempo. Lindo demais!

Mas, durante o dia, é uma paz só. Restaurantes tranquilos, trânsito gostoso, andar pelo calçadão, visitar lugares que você nunca vai normalmente, como os lugares dessas fotos lindas feitas pelo Antonio Grassi (tirei de uma reportagem que ele escreveu, falando justamente pro turista que quer fugir do lugar comum).

Comer comida árabe no Saara, visitar a Confeitaria Colombo, passear de bondinho em Santa Tereza passando pelos Arcos da Lapa, depois tomar uma cerveja nos inúmeros bares e, se gosta de chacoalhar o esqueleto, gafieira, samba, salsa e todos os ritmos, a Lapa também tem. Passear pela Cinelândia, conhecer o Teatro Municipal - tão lindo quando a Ópera de Paris - ir à Biblioteca Nacional, ao Museu de Belas Artes, passear pelo Jardim Botânico. Jardim Botânico é imperdível. Vá e veja onde o Tom se inspirava pra escrever as maravilhas que deixou pra gente.

Só aqui já te dei idéia pra mais de 10 dias de Cidade Maravilhosa.

Conhecer a Feira de São Cristovão e comer queijo-de-coalho, comer japonês no NAO, que fica no Edifício Central no metrô da Carioca. Passear pelo Rio antigo, ao lado do Centro Cultural Banco do Brasil, atravessar a rua e ir ao Centro Cultural dos Correios, curtir o Largo do Machado, o Estácio, Vila Isabel.... eita delícia!

Dar uma caminhada ao redor da Lagoa Rodrigo de Freitas e depois tomar aquela água-de-coco ou comer comidinhas, de todos os tipos e nacionalidades, nos deliciosos quiosques, que tem aos montes pelo caminho. Ir ao Corcovado de trenzinho e pegar o bondinho pra subir até o Pão-de-Açúcar e tirar uma foto, mais cafona impossível, que adoro e vem grudada num prato de louça.

E vou ficando por aqui porque, só de pensar na concentração das escolas e os puxadores de samba gritando "Olha a Beija-Flor aí geeeeennnnnnnteeee! Salguuuuueeiiiirrrrrrooooô!"
meu coraçãozinho aperta de vontade de assistir os desfiles, curtindo a noite e aproveitar tudo que sugeri durante o dia.


















































9 comentários:

  1. Ieda,
    Vc. tem razão. O Rio é um "desperdício" de beleza. No centro e adjacências. Lembrei-me que há um tempo dei uma de cicerone para uma alemã, da firma onde eu trabalhava, que chegou ao Rio em pleno domingo de carnaval. Ficamos em um apart-hotel em Ipanema, bem ao lado da turma da banda que concentra lá. Como a Mangueira desfilava no Domingo a noite, "egoistamente" não respeitei o cansaço da alemã e fomos para o sambódromo. Não é que quando olho para a gringa, por volta das quatro da matina, esperando que ela estivesse morta de cansaço, ela estava no maior pique e ainda tentando dar uns passinhos de samba. Só mesmo quem teve a oportunidade de ver o desfile no sambódromo pode der a idéia da energia que uma escola de samba dá. Quanto a viagem no fim de ano, como vc. faz, em já anotei na agenda.

    Abraços
    Sandra Dias

    ResponderExcluir
  2. Pois não é que é, amiga? Todo ano eu digo q vou voltar e sempre rola alguma coisa. Esse ano tava previsto e oia eu aqui...enfim...vou voltar um dia e quanto a nossa viagem, firme e forte.
    bjins

    ResponderExcluir
  3. Cara Ieda dias. Este comentário vi publicado na coluna do Augusto Nunes veja como age a "veja". "CARLOS TORRES disse:
    09/02/2010 às 10:29
    “Se o PMDB não tiver candidato próprio, eu me inclino pela Dilma. Ela é formidável.”
    Quem disse isso não fui eu, foi…o Pedro Simon, ontem, em declaração ao jornal Zero Hora que, sei disso, conheces bem, Augusto..
    Foi mais longe o longevo senador. Disse ser “fã” da Dilma. Segundo ele, “o governo Lula se divide em antes e depois da entrada da petista na Casa Civil, porque ela combateria a corrupção.”
    Augusto, está passando da hora de voltares correndo para cá. Talvez, se tu ainda fosses editor-chefe do ZH tais disparates não tivessem sido publicados.
    O Simon está precisando com urgência de um “personal consultor”. Deve ser pela idade provecta, fez 80 anos há pouco.
    Grato, caro Carlos. O Simon vai já pro Sanatório. abração."
    É assim que age um digno jornalista com a sua profissão.

    ResponderExcluir
  4. Devo estar cansada e com sono. Li e reli e não entendi porque você me enviou esse comentário. É pra mim mesma?

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Ieda, esses dias de relativa calma em alguns bairros do Rio fazem parte do passado, querida, infelizmente. Atualmente, os blocos de rua tiveram uma forte crescida, é bloco pra todo lado, e a qualquer hora do dia, tem bloco até as 8h da manhã.

    Isso é ótimo para quem ama carnaval, mas para mim até ir ao cinema, que é o que faço nessa época, vira uma maratona, porque na volta tem sempre um bloco na frente do meu táxi, e haja paciência...:)
    um abraço,
    clara

    ResponderExcluir
  7. Jura, Clara? Não me mate de tristeza... Tenho que ir ao Rio com mais frequencia.
    bjins

    ResponderExcluir
  8. Anônimo disse...
    Cara Ieda dias. Este comentário vi publicado na coluna do Augusto Nunes veja como age a "veja". "CARLOS TORRES disse:
    09/02/2010 às 10:29
    (“Se o PMDB não tiver candidato próprio, eu me inclino pela Dilma. Ela é formidável.”
    Quem disse isso não fui eu, foi…o Pedro Simon, ontem, em declaração ao jornal Zero Hora que, sei disso, conheces bem, Augusto..
    Foi mais longe o longevo senador. Disse ser “fã” da Dilma. Segundo ele, “o governo Lula se divide em antes e depois da entrada da petista na Casa Civil, porque ela combateria a corrupção.”
    Augusto, está passando da hora de voltares correndo para cá. Talvez, se tu ainda fosses editor-chefe do ZH tais disparates não tivessem sido publicados.
    O Simon está precisando com urgência de um “personal consultor”. Deve ser pela idade provecta, fez 80 anos há pouco. )
    (Grato, caro Carlos. O Simon vai já pro Sanatório. abração.")
    10 de fevereiro de 2010 18:5
    Cara Ieda,
    Ti mandei este comentário para mostrar como age este jornalista, sem nenhuma parcialidade, mais parece jornalista pago, para defender algum grupo político, sempre vejo postados alguns comentários seus nesta coluna, o mesmo diz, se fosse o editor-chefe de tal jornal, haveria censura como faz nas resposta que não compactua com seu pensamento e até invertendo totalmente o sentido do comentário como já fez com um comentário que fiz.
    Desculpe o desabafo.
    Beijão.
    É assim como age um digno jornalista com a sua profissão?.

    ResponderExcluir
  9. Entendi agora. Não há de que desculpar.
    bjins

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...