quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Origem da palavra greve. Adoro.

Praça da Prefeitura de Paris. Prainha no tempo que não havia sido ainda aterrada e asfaltada
Greve de mineiros. Não das Minas Gerais...he..he... Das minas de Pas-des-Calais.
A praça dos nossos tempos. Acho muito legal essa história.

Desde 650 aC já se fazia greve, mas a palavra greve só começou a ser usada pra esse fim na segunda metade do século XIX na França. Sempre a França. Terra de povo que adora reinvidicar. Conhece e briga pelos seus direitos. Certíssimos.
A Prefeitura de Paris fica em uma praça linda e enorme ao lado do Rio Sena. Antes de chegar a civilização asfaltando e colocando calçamento pra todo lado, existia uma prainha às margens do rio. Cheia daqueles pedregulhos de beira de rio. Pedrinhas redondinhas e de outras formas, que em francês se chama "grève". Já tá dando pra perceber onde isso vai dar né?
Como é uma praça grande e onde trabalha o prefeito, as pessoas começaram a se reunir lá pra reinvidicar o que fosse. E cada vez que haveria uma reunião o boca a boca dizia: vamos nos encontrar ao lado do rio na praça perto da prainha de "grève", onde ancoram as pequenas embarcações como voces podem ver nessa foto legal que achei no Google.
"Grève" pra lá "grève" pra cá, virou greve qualquer movimento de pedição de alguma coisa.
Os casos em relação a origem de palavras e outras histórias de povos, escutei ao longo de minhas moradas e passeios pelo mundo. Derrepente podem ser verdadeiros ou folclore. Mas quando o "causu" é bom eu repasso. Não estou afirmando nada. Ok?






8 comentários:

  1. Melhor que ler aqui é ter você contando 'in loco'...
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Também acho Ju, precisamos sair em bando de novo. Breve.
    bjins

    ResponderExcluir
  3. Eita cultura boa, agora sei o significado desta palavra que muita das vezes tumultua nosso amado País, kkkkkk Aloisio Obs e até hj a CEF esta de greve.

    ResponderExcluir
  4. Pois é meu bem a gente só não pode falar no capeta.....que ele aparece. Ainda bem que não tenho grana na CEF. Não só lá...rsrr.rs...

    bjins

    ResponderExcluir
  5. Ieda, descobri o seu blog lendo-a no conexao paris.
    Voce 'e otima!!!
    Onde foi achar esse relato? De fato, o teu "causo" esta coberto de "significancia". 'E isso mesmo. A greve nossa de cada dia vem la de tras. Da place la greve. E o que nao faziam os franceses da epoca?! Diferentes das nossas greves de hoje (tao odiadas por tantos, mas ainda necessaria para conseguir ao menos manter direitos). Mas os franceses continuam com este pendor reivindicante, inquieto. Parabens pelo teu blog

    ResponderExcluir
  6. Ieda, descobri o seu blog lendo-a no conexao paris.
    Voce 'e otima!!!
    Onde foi achar esse relato? De fato, o teu "causo" esta coberto de "significancia". 'E isso mesmo. A greve nossa de cada dia vem la de tras. Da place la greve. E o que nao faziam os franceses da epoca?! Diferentes das nossas greves de hoje (tao odiadas por tantos, mas ainda necessaria para conseguir ao menos manter direitos). Mas os franceses continuam com este pendor reivindicante, inquieto. Parabens pelo teu blog

    ResponderExcluir
  7. Oi Eymard, seja muito bem vindo ao blog. Essa miscelãnea de historias foi acumulada com muitos anos de estrada. Vivi muitos anos na França, sou curiosa com cultura e pessoas em geral, e tive a sorte de encontrar pessoas que gostavam de falar, contar, discutir.
    Não suma não...tem muito causu ainda proce saber.
    bjins

    ResponderExcluir
  8. Quando a gente tá morando lá, Eymard, essas greves enchem o saco. Mas olhando de fora o frances realmente gosta de reinvidicar. Não é de ficar calado, como vc deve ter visto agora com o petit Sarco. Aliás é bom o pai abrir o olho, pq a batata dele tá assando...rs.
    bjins

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...