terça-feira, 27 de outubro de 2009

Quarta feira:comprar, encontrar, passear,desenferrujar.




Fico contente quando descubro que coisas que vi lá fora, há alguns ou muitos anos atrás , começam a ser feitas no Brasil. Eles copiam as nossas idéias, nós copiamos as idéias deles e assim vamos trocando experiências, principalmente quando é de uso de uma comunidade.

A Prefeitura de Paris tem um serviço que acho muito legal. E sei que aqui em BH tem um serviço parecido na periferia da cidade. Muito bom !

O país tem muita gente idosa. E estes idosos normalmente moram sozinhos e não com as familias, como a maioria dos nossos velhinhos. É um outro tipo de relacionamento que não vem ao caso agora.

Então, toda quarta-feira um microonibus passa na casa das pessoas cadastradas pra levar o pessoal pra fazer supermercado, ir à farmácia, se encontrar, conversar fiado. Eles podem fazer isso pelo telefone, como aqui, mas é uma forma de andar, se mover, tomar um ar, sociabilizar-se.

Muito legal! O que acho mais simpático ainda é o treinamento recebido pelo motorista que acompanha as pessoas. Ele está ali pra ser gentil, paciente, ajudar, respeitar. E precisa fazer isso tudo com muito amor.

Se você sente esse tipo de necessidade no seu bairro, sua rua, com pessoas que você conhece, seria muito legal começar a levantar essa bandeira junto ao seu deputado, ou vereador, ou centro comunitário da sua região.

6 comentários:

  1. Eu acredito que um dia ainda teremos o devido respeito e carinho pelos velhos (que seremos nós daqui a pouco, que serão os jovens daqui a mais um pouco).

    ResponderExcluir
  2. Isso que narrei Kátia é bem europeu. Tipo, sem nada pessoal. Como um merecimento mesmo. Uma obrigação da sociedade. Devolver um pouco do que foi dado por eles. Não tira o mérito da questão, mas aqui acho que a gente apesar de toda falta de paciência e respeito, nossos velhinhos recebem mais carinho físico, pessoal.
    bjins

    ResponderExcluir
  3. No desfile da coleção inverno 2009 do Ronaldo Fraga: "Tudo é risco de Giz", inspirada no espetáculo Giz do Giramundo, ele colocou crianças e velhos para desfilar. Foi emocionante! A fragilidade do traço de giz, que pode ser desfeito com um gesto de apagar. Vc acredita que muitas pessoas não entenderam nada e acharam "feio" colocar pessoas idosas para desfilar? É assim que os velhos são vistos ou as pessoas não querem ver. Será que eles deviam ficar escondidos em casa?

    ResponderExcluir
  4. Precisamos organizar uma viagem à India pra levar essa turma...eles vão voltar pensando diferente. Aliás, viajar é sinonimo de aprender, assimilar,trazer, enchergar, sentir, perceber, e mais outros vários verbos puxados pra esse grupo.
    Boravamo?
    bjins

    ResponderExcluir
  5. O Brasil está aprendendo, muito recentemente, a ter idosos como uma população grande, significativa, ativa, cheia de renda e de projetos. O Brasil está envelhecendo. E é a hora de desenvolvermos mais produtos pra essa turma. Além da questão da dignidade, comercialmente é um super nicho de mercado. Como disse alguém, quem não envelhece é porque morreu. Então vamos tornar melhor esta agora longa etapa das nossas vidas, se Deus quiser!

    ResponderExcluir
  6. Falou Anoca. Depois o povo fala que não tem trabalho...se parar e colocar a cabeçinha pra pensar aparece coisa pra fazer.E coisa boa, gratificante. Tem que colocar tico e teco pra trabalhar.
    bjins

    ResponderExcluir

Se você não tem conta no google, é só clicar em 'anônimo' para enviar seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...